Translator

terça-feira, outubro 31, 2006

Blogagem coletiva

Leiam: A falta de fair play dos patrulhadores de plantão(ou melhor, de educação, mesmo)

Meus três leitores,atentai bem!

Artigo escrito em fevereiro de 2004 pelo Senador Jefferson Peres. Não o percam de vista. Continua servindo de alerta.

Mexicanização em marcha?
- Todos conhecemos a experiência histórica vivida pelo México do final dos anos 20 ao final dos anos 90 do século passado, período em que o país ficou submetido a um regime formalmente democrático, mas de fato oprimido por uma disfarçada ditadura de partido único.
Durante 70 anos, no pleno vigor da Constituição, foram cumpridas as formalidades do Estado de Direito, com separação dos Poderes, eleições periódicas, pluripartidarismo e liberdade de expressão e reunião.
Essa aparência de democracia mascarava um sistema autoritário, no qual um partido hegemônico -o Partido Revolucionário Institucional- dominava amplamente o poder e a sociedade. Domínio exercido mediante o aparelhamento da estrutura do Estado, o controle das máquinas sindicais e o anestesiamento dos meios de comunicação. Um sistema que alguém chamou de "ditadura perfeita".
Num cenário assim, pode-se compreender por que a oposição, representada, à direita, pelo Partido da Ação Nacional e, à esquerda, pelo Partido Comunista, ficou reduzida a mero coadjuvante, numa peça que tinha como único protagonista o partido monopolista do poder. As eleições perderam o caráter de disputa, transformadas num ato litúrgico vazio, porque conhecido de antemão o vencedor.
Desprovidos de meios de atuação efetiva, os partidos oposicionistas não conseguiam capitalizar o descontentamento de setores da sociedade, que ficaram sem canais condutores dos seus reclamos e anseios. Como disse Octávio Paz, em "O Ogro Filantrópico", a insatisfação popular se traduzia num sentimento difuso de ceticismo e desesperança. Donde a longevidade do regime, finalmente interrompida pela vitória de Vicente Fox.
Receio muito que estejamos a viver, no Brasil, o início de um processo de mexicanização da cena política nacional. Não obviamente uma reprodução fiel da experiência mexicana, o que teria sabor de farsa, para lembrar a famosa observação de Marx, uma vez que os contextos históricos são muito diferentes. Mas vislumbro a gestação de um modelo de características não exatamente iguais, com suas peculiaridades, mas igual na essência.
Não exagero se disser que os principais ingredientes da receita parecem estar reunidos. A começar pela presença, no poder, de um partido que, embora não-ideológico, tem sobre os adversários a vantagem de possuir organização, militância, disciplina, espírito grupal e apetite para aparelhar a estrutura do Estado.
Segundo, para utilizarmos conceitos de Gramsci, ocorre uma situação inédita e preocupante na história política recente do nosso país. Até o governo FHC, os partidos no poder, portanto, no controle das classes dominantes, não controlavam as classes dirigentes, fortemente influenciadas pelos partidos de oposição, o que lhes dava grande capacidade de mobilização e resistência. Hoje, os partidos no poder, PT à frente, controlam também, de certa forma, as classes dirigentes, ao manterem sob sua influência os principais movimentos da sociedade organizada. Com baixo nível de organização e sem enraizamento social, doutrinariamente vazios, sem líderes populares e reduzidos a ínfimas minorias no Congresso, os partidos oposicionistas não terão poder de capitalizar o potencial de rebeldia dos descontentes, que tenderão, para lembrar Octávio Paz, a resvalar para o ceticismo e a desesperança. Quem sabe, para o cinismo.
Registre-se outra mudança substancial, que muitos ainda não perceberam. Antes, a existência da oposição estava assegurada, sob a liderança do PT, por ser de caráter ideológico, integrada por políticos convictos, imunes à cooptação pelo poder. Hoje, a oposição é formada, em sua maioria, por políticos sem convicções, que só conseguem sobreviver no regaço do poder. Se o governo quiser -e quer-, sobrarão muito poucos no campo oposicionista.
Acresce ainda que, se reeleito, em oito anos de mandato Lula fará a maioria dos membros dos tribunais superiores. Teremos, assim, a cúpula do Poder Judiciário, não digo submissa, mas seguramente simpática ao governo. E, para completar, o perigo, real, do amordaçamento legal do Ministério Público.
Tudo isso no quadro de uma federação de fancaria, pela hipertrofia do poder central, agravada com as recentes mudanças tributárias, que reduzirão os governadores a dóceis presidentes de província, numa regressão de fato ao Estado unitário do período imperial.
Finalmente, last, but not least, os meios de comunicação, fragilizados financeiramente, a dependerem do socorro de bancos estatais, poderão impor-se indesejável autocensura, demitindo-se do seu papel crítico e abrindo caminho para a prevalência da verdade oficial e, sinistramente, do pensamento único.
Então não faltará nada para se reeditar no Brasil uma versão, talvez mais branda, do México sob o domínio do PRI. O Estado convertido num ogro filantrópico, monopolizado por uma burocracia partidária corrompida pelo poder, ineficiente no desempenho de suas funções, mas eficientíssima na compra de apoios e na conquista de votos.
Não fantasio. Trata-se de um risco real. Minha única dúvida é se isso faz parte de um projeto hegemônico do núcleo dirigente do PT ou se decorre de um processo natural, não planejado, o que, aliás, é irrelevante. Importa o fato de que está em marcha a mexicanização da política nacional, que poderá, sem golpe de Estado e sem ditadura formal, resultar num prolongado eclipse da democracia em nosso país. Perspectiva que me dá calafrios.

Jéfferson Peres é senador pelo PDT (AM)
© Copyright 2002 - PDTPartido Democrático Trabalhista

domingo, outubro 29, 2006

quarta-feira, outubro 25, 2006

Finalmente!

Descobriu-se finalmente porque o filho do Apedeuta ficou rico do dia para a noite!
Efeito do Bolsa-Família!

terça-feira, outubro 24, 2006

domingo, outubro 22, 2006

As semelhanças e as diferenças entre o governo FHC e o governo Lula


Lula prometeu no fim de sua gestão comparar o seu governo com o governo de FHC. Vou dar minha contribuição.

1- FHC estabilizou a moeda. Lula manteve a estabilização.
2- FHC deu ao país um crescimento pífio de 2,6%. Lula também.
3- FHC entregou o país com 10,4% de desemprego. Lula entregará com 10,6%.Quase igual.
4- FHC aumentou a carga tributária. Lula também.
5- FHC não consertou as estradas. Lula também não consertou.
6- FHC privatizou a telefonia, a Vale do Rio Doce, vários bancos e mais um monte de estatais ineficientes. Lula também privatizou, ou melhor PeTetizou (atenção, editores do Aurélio: novo verbete a incluir na próxima edição: PTtizar - o ato de entregar empresas do governo para os cumpanhêro petistas e aliados) a Petrobrás, o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal, os Correios

7- FHC livrou a cara dos bancos. Lula aumentou o lucro deles.
8- FHC não incentivou as micro e pequenas empresas.Lula também não.
9- FHC criou o assistencialismo barato. Lula aproveitou a idéia e aumentou o assistencialismo barato.
10- FHC teve o PMDB como grande aliado. Lula também.
11- FHC traiu Sarney e ACM, seus aliados.Lula foi mais esperto. Só traiu ACM.
12- Ney Suassuna foi ministro de FHC. Ney Suassuna foi líder do governo de Lula.
13- Romero Jucá foi líder de FHC. Romero Jucá é líder de Lula.
14- FHC gosta de Aécio. Lula também.
15- FHC declara que gosta de Lula mas está decepcionado. Lula declara que gosta de FHC mas está decepcionado.

16- FHC disse que sua família tem um pé na cozinha. Lula também tem mas está jogando o pessoal da cozinha contra os da sala.

17- FHC tem um filho Paulo Henrique, que foi acusado pelo PT de fazer tráfico de influência no seu governo. Lula tem um filho o Lulinha, que foi acusado de fazer tráfico de influência no seu governo. A diferença é que o filho de FHC era empresário de sucesso antes de seu pai ser presidente. Lulinha, ficou rico do dia para a noite, dentro do governo de seu pai em condições altamente suspeitas.

Em 2000, a revista Isto É (hoje chamada de "Quanto É") realizou uma votação para eleger os 20 maiores líderes e estadistas da história do Brasil. Vejam o resultado .

Aí vocês vão me perguntar: Qual a diferença básica? A diferença básica é que o PT de Lula e o próprio Lula são muito menos confiáveis que o PSDB de FHC e o FHC. O PSDB tem como candidato Geraldo Alckmin que é confiável. O PT não tem ninguém confiável. Eu emprestaria uma grana ao Geraldo, mediante uma garantia real registrada em cartório que eu não sou besta de emprestar grana a político sem garantia.Mas não emprestaria uma grana ao Lula em hipótese alguma pois poderia virar bode expiatório do mensalão, do caso Sanguessuga, do dossiê Vedoin além de ter a certeza de não ver a grana de volta. e se ameaçasse botar a boca no trombone, poderia ser assassinado numa quebrada poraí.


*******

Em tempo: o TSE proibiu hoje o adesivo da mão com os 4 dedos(abaixo). Censura de novo! Estou ficando preocupado com o rumo das coisas e com o saco cheio dos "politicamente corretos". Enquadrem também então Tarso Genro que em 1999 conclamou o povo a tirar Fernando Henrique legitimamente eleito NO PRIMEIRO TURNO com o lema: "FORA FHC!" e hoje compara Alckmin a Pinochet.É muita cara de pau.

segunda-feira, outubro 16, 2006

O samba do político doido

O cronista e jornalista carioca Sérgio Porto mais conhecido por Stanislaw Ponte Preta, com certeza uma das mais brilhantes figuras da imprensa brasileira de todos os tempos, nos brindou com o Samba do Crioulo Doido. Hoje assistimos ao samba do político doido(veja a paródia da letra aqui), muito bem exemplificado neste segundo turno das eleições no Rio de Janeiro (será que o Serjão pode explicar?).

Sérgio Cabral do PMDB apóia Lula do PT, é do partido de Garotinho que apóia Alckmin do PSDB, é apoiado por Eduardo Paes do PSDB, que apóia Alckmin do PSDB.

Denise Frossard do PPS diz que não apóia Alckmin do PSDB mas vai votar em Alckmin do PSDB, é apoiada pelo César Maia do PFL do Rio que vive criticando Alckmin, pelo PV de Gabeira que já foi do PT do Rio, que vive brigando com o PT nacional, mas que apóia Alckmin do PSDB.

Pegando o fio da meada no resto do país, vemos também que o PMDB de Sérgio Cabral apóia Alckmin do PSDB em Santa Catarina de Luís Henrique, no Rio Grande do Sul de Rigotto. Parte do PMDB de São Paulo também apóia Alckmin do PSDB e outra parte apóia Lula. Blairo Maggi do PPS de Mato Grosso apoiou Alckmin do PSDB no primeiro turno, mas hoje mudou de i$d$é$i$a e apóia Lula do PT no segundo turno. No Maranhão, Jackson Lago do PDT apóia Lula do PT e é apoiado pelo PFL nacional e pelo PSDB enquanto que Roseana Sarney do PFL local apóia também Lula e não é apoiada pelo PT local mas é apoiada pelo PV do seu irmão que é o mesmo PV de Gabeira. No Ceará, Cid Gomes do PSB foi apoiado por Tasso Jereissati do PSDB e apóia Lula do PT.

Confesso a vocês que como Diogo Mainardi, fiquei todo embananado. Para acabar com essa doideira toda, só mesmo uma reforma política. Mas como sabemos, não faz parte dos planos do PT pois eles são adeptos do quanto pior, melhor. Só eles estão ganhando com isso. Porisso, fora com Lula e com o PT no dia 29!

sábado, outubro 14, 2006

O jeito petista de fazer campanha

Eduardo Suplicy chama a atenção de Alckmin em Aparecida pedindo para o candidato tucano não ofender o Presidente. Alckmin nunca ofendeu Lula. Só cobrou respostas sobre tudo aquilo que todos sabem e Lula diz que não sabe. Agora o PT quer dizer como o adversário deve fazer sua campanha?

O site da campanha de Lula ofende a família de Alckmin. Depois pedem desculpas. Já ofenderam. É o famoso "morde-assopra".

A campanha de Lula prega junto aos mais desfavorecidos que Alckmin se eleito, vai cortar a luz, o Vale-Gás, o Bolsa-Família. Ao eleitorado funcionário público diz que ele vai privatizar o Banco do Brasil e a Caixa Econômica, a Petrobrás. Não está escrito nem dito em nenhum lugar isso. Campanha terrorista.

O PT pede que VEJA retire out-doors das ruas com a capa da revista que mostra Alckmin. Pede que a CBN tire artigo de Jabor (ouça aqui) comentando o debate da Band. O TSE atende. É a censura à imprensa voltando, gente! Imaginem se o Apedeuta for reeleito. Não vamos só hospedar blogs na Romênia. Vamos ter que viver lá.

quarta-feira, outubro 11, 2006

A luta continua

Alguns colegas blogueiros estão preocupados com o resultado das pesquisas e com a divisão do eleitorado que aponta uma "secessão" política no Brasil conforme esta foto ao lado que está circulando na Net. Sobre este assunto, leiam AQUI .
A nós resta continuar nas denúncias e na confiança que Alckmin será eleito e melhorará o país efetivamente. Se ele reduzir a corrupção à metade já será uma grande coisa. De acordo com os estudos do IBPT (Instituto Brasileiro de Pesquisas Tributárias) 10% dos impostos arrecadados são jogados no ralo da corrupção. Só aí seriam 20 bilhões de reais economizados por ano. 10 bilhões para duplicar o Bolsa-Família e 10 bilhões para investimentos reais em infra-estrutura.
*******
Muito interessante esta análise sobre o debate sob o ponto de vista de um parlamentar petista.Vale a pena ler e saber com satisfação, que ainda existem petistas equilibrados(toda a regra tem a sua exceção). Leiam AQUI

terça-feira, outubro 10, 2006

Segundo Turno - Guerra é Guerra

Ninguém viu até agora o programa de governo do Apedeuta. Eu vi. Cliquem AQUI para verem(hehehe).
*******
Este é o AeroLula. Fotos internas do avião que foram censuradas pela FAB.
*******
Duas questões cruciais:

Cartão Corporativo da Presidência da República - Os gastos com este cartão duplicaram no governo Lula. Só um assessor sacou em dinheiro vivo um milhão de reais! O detalhamento destes gastos desde 2003 passou a ser omitido no site do governo(SIAF) "por razões de segurança nacional". Ninguém hoje pode saber quem gastou este dinheiro (que é nosso) e onde.




Lula, seja homem! Sente com seus amigos de 30 anos na Granja do Torto, com o seu churrasqueiro, o seu segurança, a sua secretária particular e o marido dela, tome um uísque com calma e pergunte a eles. Quem deu o dinheiro do dossiê fajuto? Uma vez sabendo, venha à imprensa e diga para nós! 186 milhões de brasileiros querem saber!

segunda-feira, outubro 09, 2006

O que eu vi e todos nós vimos deste debate?

a- Que Alckmin foi incisivo, direto e botou o dedo em algumas feridas de Lula, que sentiu e chegou até a se desconcertar.Ótimo! Até parece que seus assessores estão lendo os blogs anti-Lula e lhe passando informações valiosas.
b- A meu ver, daqui para a frente, dois itens importantes devem sempre ser ressaltados na cruzada anti-reeleição do Apedeuta:


1-Quem é o fornecedor ou quem são os fornecedores do dinheiro do dossiê fajuto?


2-Lula falta com a verdade.

Sempre faltou. A sua máxima predileta "Nunca nos últimos trocentos anos se fez isso ou se fez aquilo" é uma forma de subverter a verdade dos fatos, jogar não a poeira mas a lama para debaixo do tapete. Devemos não só nós mas também o candidato Alckmin repetir à exaustão até o dia 29 de outubro que Lula mente ao povo e provar com fatos incontestes. O brasileiro pobre pode estar hoje acreditando no Apedeuta mas não gosta de mentiras. Ao desmascarar o palavrório fajuto do candidato-presidente ele vai repensar em sua opção. Lembram-se do refrão da música do Erasmo Carlos "Pega na Mentira"? (Letra aqui) . Alckmin, é por aí!

*******

É importante relembrar promessas feitas por Lula em sua campanha de 2002 e comparar com que ele fez até agora ou deixou de fazer. Vejam aqui trechos do debate dele com Serra em 2002.

*******

O meu post sobre as comparações Lula x FHC baseou-se em dados e fatos reais. Dados dos sites do IBGE, Eletrobrás, Furnas, BNDES, Rede Governo e em arquivos da FSP e Estadão. Fiquei mais de 6 horas coletando estes dados para poder realizar as comparações. Cliquem aqui para ver um exemplo. A PNAD 2005 do IBGE que o governo usa para realizar as comparações, apresenta números consolidados até 31/12/2005. Não vi em nenhum lugar os dados que provam ter o governo Lula criado 7 milhões de empregos como ele disse ontem no debate. Aceito como reais os dados de criação de 4,2 milhões de empregos até julho/2006, conforme mostra a PME (Pesquisa Mensal de Empregos) do IBGE publicada em agosto/2006 e a respectiva série histórica. Ou seja, Lula ontem mentiu mais uma vez.

*******

Este blog assim como a maioria dos "blogs nota 1000" listados do lado esquerdo da telinha é de cidadãos de bem, indignados e inconformados com a série de mentiras explícitas e escândalos dos integrantes deste governo que se reeleito, irá afundar ainda mais a nossa nação com seu projeto de poder. Está mais que na cara que repudio o governo atual e as atitudes dos integrantes do PT. Não gosto do PT não é de hoje. Já se vão 26 anos(quase metade da minha existência terrena) que tento alertar para a temeridade de termos este grupo no poder. Para mim, provaram por A+B nestes 4 anos, tudo aquilo que eu pensava e dizia sobre eles.

O Brasil é muito grande, tem um potencial incrível de crescimento e não será um grupelho de elite corrupta que comanda 800 mil filiados, a maior parte hoje encastelada em cargos públicos e que engana milhões de pessoas carentes, que irá hipotecar o futuro de 180 milhões de pessoas. Se Lula for reeleito, continuarei cobrando e denunciando a petralhice. Se Alckmin ganhar, cobrarei com muito mais ênfase dele do que cobro dos petistas, um futuro melhor para todos os brasileiros.

*******

(atualizando o post) Essa é muito boa!

sábado, outubro 07, 2006

Debates do segundo turno

Lula disse ontem que irá a todos os debates, porque gosta de debater. Agora que a pimenta ardeu vocês sabem onde, ele decide ir. Ora,vejam só!

Quem viu o Roda-Viva e o noticiário de hoje, percebeu que a petralhada tentará levar o debate para o passado. Para a comparação entre o governo FHC e o governo Lula. Assim, creio que a turma de Alckmin, deve estar preparada para anular a lenga-lenga petista. Mas deve fazer isto atacando e não na defensiva. Tem que tomar a iniciativa caso o confronto seja este. E rebater as acusações com números e fatos. Eu preparei uma lista dos itens mais "batidos" pela turma da petralhada em forma de tabela do Word. Mas como não sei colocar isso aqui em forma de tabela, listo. Em azul, os dados do governo FHC e em vermelho, os dados do governo Lula.Se alguém tiver alguma adição ou correção me avise. Os dados desta lista foram obtidos junto aos sites do IBGE, Eletrobrás, BNDES, RedeGoverno, arquivos da FSP, Estado de SP.

1-EMPREGO E RENDA
A taxa de desemprego em dez/2002(FHC) foi de 10,5%. A taxa de desemprego em agosto de 2006(Lula) é 10,6%
Lula prometeu solenemente criar 10 milhões de empregos. Criou 4 milhões, insuficiente para atender o crescimento da população entre dezembro de 2002 até agosto de 2006.

A renda média em dez/2002(FHC) era de R$ 1069,00. A renda média em agosto/2006(Lula) é de R$ 1036,20. A renda média do brasileiro de 1990 a 2002 cresceu 48%. A renda média entre 2003 e 2006 decresceu 3%! No Nordeste cresceu 3,35% enquanto que no Sul-Sudeste decresceu 4,74%.

O consumo de frango no governo FHC subiu 86%, de iogurte,82%, de carne suína, 57%, de biscoitos,51%, de carne bovina, 35%. O consumo de cimento, que havia caído na década de 80, deu um salto de 45%, acima da média de 1991/1994. O número de brasileiros que detinham geladeira aumentou de 71,8%, em 1993, para 88 % em 2002. Rede de abastecimento de água passou de 75% para 81,1% dos lares. O arroz "Tio João" que o Lula disse que caiu de R$ 13,00 para R$ 5,00 no seu governo, hoje está em R$ 8,00.

2- PROGRAMAS SOCIAIS
Foram implantados no governo FHC entre 1995 e 2000, 12 programas sociais diferentes, constituindo uma
rede de proteção, com benefícios regulares para 37,6 milhões de pessoas pobres( 9,8 milhões de famílias). Os recursos para 2002 foram mais de R$ 30 bilhões. Esse valor ultrapassou o total arrecadado com o Imposto de Renda no país, da ordem de R$ 20,2 bilhões.O Bolsa-Escola, o Vale-gás,o Bolsa Renda, o Bolsa-Alimentação, o PETI, todos sob coordenação do programa Comunidade Solidária, garantiam até 90 reais mensais às famílias, só que de forma diferenciada, exigindo reciprocidades dos assistidos. Em 2001 foi criado o Fundo de Combate à Pobreza, para garantir recursos aos diversos programas.
O governo Lula, depois do fracasso do Programa Fome Zero, juntou os 12 programas de FHC em um só e o rebatizou de Bolsa-Familia. No processo de reinventar a roda, milhões de famílias ficaram desassistidas por um tempo. Hoje o Bolsa-Família atinge 11 milhões de famílias (1,2 milhões a mais somente do que os programas de FHC assistiam). Descontinuou o PETI(Programa de Erradicação do Trabalho Infantil).

3-ELETRIFICAÇÃO RURAL
PROGRAMA LUZ NO CAMPO-Criado em 1999, em 2,5 anos atingiu 2 milhões de pessoas.Foi rebatizado pelo atual governo para PROGRAMA LUZ PARA TODOS em 2004, em 2,5 anos atingiu 2,6 milhões de pessoas, sendo 90% no meio rural.Olha o PT se apossando de uma boa idéia e dizendo que é dele!

4-TRANSPORTES
A malha rodoviária brasileira tem 58 mil km de estradas. Só em SP são 20 mil km. Deste total, as estradas estaduais representam 70% e estão todas em ótimas condições.As estradas federais, salvo a Via Dutra, privatizada no governo FHC, estão em péssimas condições.Seriam necessários 12 bilhões de reais para recuperar as estradas federais brasileiras.
A CIDE é um imposto que foi criado sobre o custo do combustível para ser aplicado na conservação das estradas.Os recursos arrecadados no governo Lula e não utilizados da CIDE hoje somam 18 bilhões de reais para fazer superávit primário. Este dinheiro daria para recuperar toda a malha viária federal e ainda sobraria para construir mais 1500 km de estradas totalmente novas, além de criar milhares de empregos.
O governo Lula se vangloria de só ele estar melhorando os aeroportos brasileiros. O que eles não dizem é que o programa de ampliação e modernização dos aeroportos foi iniciado no governo FHC, com as obras de ampliação e modernização dos aeroportos de Guarulhos,Porto Alegre, Curitiba, Galeão e Brasília.
O governo Lula critica o governo FHC pela má situação das estradas federais mas não fez nada para melhorá-las a não ser no início deste ano, quando sob forte pressão partiu para um programa “tapa-buracos” sem licitação em 2,4 mil km(dos quais foram efetivamente executados não mais que 50%), executado na época das chuvas, o que significa que daqui a no máximo 2 anos estas estradas estarão de novo imprestáveis.Estradas novas? Somente foram construídos 269 km ! Hoje, 82% das estradas federais estão em péssimas condições de uso.
Enquanto isso a diretora da ANAC, ex-assessora de José Dirceu, destrata os familiares dos mortos no acidente do avião da Gol.


5-CORRUPÇÃO
Vejam este artigo com acusações de corrupção no governo FHC, nenhuma comprovada. Notem um detalhe: quem é o autor do artigo? Pasmem! O mensaleiro João Paulo Cunha.

http://www.revistaforum.com.br/ladob-45escandalos.htm

A CGU(Controladoria Geral da União) foi criada em 2001 e demitiu 592 servidores por corrupção até final de 2002(em um ano apenas).
O governo Lula MENTE dizendo que criou a CGU. A sua CGU de Waldir Pires, demitiu 471 servidores em 3 anos!

Alguns casos de corrupção e escândalos do governo Lula, denunciados e comprovados, com ninguém punido ou preso:

-Waldomiro Diniz e a propina, o escândalo dos Correios;Rogério Buratti e a GTEC
-Mensalão e os 40 ladrões

-Dólares na cueca do assessor do irmão do Genoíno

-Silvinho Pereira e a Land Rover da GDK
-Humberto Costa e os Vampiros

- Palocci e a quebra de sigilo do caseiro Francenildo
-Os Sanguessugas e o escândalo das ambulâncias que foram compradas na gestão Lula a um preço 5 vezes superior ao valor normal.
-Os Vedoin enrolados com o PT e o "dossiêgate" contra Serra/Alckmin
... e o Lula não sabe de nada disso? Enganem o povo que ele gosta!

6-PRIVATIZAÇÕES

De 1991 até 2002 foram privatizadas ou objeto de concessões mais de 170 empresas federais e estaduais,totalizando uma arrecadação de 87,5 bilhões de dólares e repasse de dívidas de 18 bilhões de dólares.Foram abertas concessões de serviços públicos para exploração da iniciativa privada.No caso específico das Telecomunicações: entre leilões e transferência de dívidas, o governo arrecadou 31 bilhões de dólares.Em 1994 havia 13,3 milhões de telefones fixos instalados no Brasil, número que saltou para 49,4 milhões em 2002, isto é, 271% a mais. O número de telefones celulares hoje é de mais de 80 milhões a um custo de aquisição de até 90 reais por aparelho com uso imediato contra um custo de 2000 dólares em 1993, e fila de espera de até 2 anos. O custo de implantação de uma ERB(estação radio-base) celular no sistema Telebrás em 1993 era de 1, 5 milhões de reais saídos dos cofres públicos. Em 2002, o custo de implantação da mesma ERB nas empresas privatizadas era de 150 mil reais.
A EMBRAER após a privatização, passou a ser a 3a. empresa fabricante de aeronaves do mundo.
A CVRD, quando estatal era um cabide de empregos. De 2001 a 2005 a Vale investiu 28 bilhões de reais. Como estatal não teria conseguido investir nem um terço desse valor.

O governo Lula fez o contrário. Partiu para um programa de estatização com a contratação de uma enorme quantidade de funcionários públicos inchando a máquina, para substituir mão de obra terceirizada nas atividades-meio. Contratou milhares de companheiros para cargos de assessoria na maioria das vezes sem competência para o cargo, aparelhando o Estado. Desta forma aumenta o gasto público com a perenização do custo salarial e encargos, incentiva a ineficiência pois que a maioria das atividades-meio no serviço público não é contínua.

PPP´s – Apesar de aprovada a Lei das PPP´s pelo Congresso, nenhum contrato de parceria foi efetivado até o momento pois a
s agências reguladoras antes independentes, passaram para o controle dos ministérios e nenhuma empresa privada quer ser sócia de alguém que a qualquer momento pode mudar as regras do jogo.

7- SAÚDE
Em 2002, 54,9 milhões de pessoas foram atendidas pelo programa Saúde da Família, praticamente um em cada três brasileiros. As equipes do programa eram 328 em 1994, passando para 16.657 em 2002, um aumento de quase 5000%. Os agentes comunitários de saúde passaram de 29 mil, em 1994, para 174 mil em 2002. Durante uma década, o projeto de lei dos genéricos ficou parado no Congresso Nacional. Virou lei em 1999 e, no final de 2002, já existiam 696 medicamentos genéricos registrados,envolvendo 37 laboratórios.
Perto de 95% do mercado já estava sendo atendido com os genéricos,que são, em média, 40% mais baratos que os remédios de marca. Divulgados em maio de 2002, os resultados do censo 2000 apontaram uma queda histórica na mortalidade infantil brasileira ocorrida ao longo da década de 1990. A redução foi de 47,8 óbitos por mil nascidos para 29,6. A expectativa de vida passou de 63 para 69 anos.

Os programas de saúde do governo Lula são os mesmos da gestão FHC. Não mudou nada.

8-EDUCAÇÃO
Em 2002 Brasil tinha acima de 97% das crianças de 7 a 14 anos na escola, contra 88,6% em 1993.Entre 1994 e 2001, as matrículas no ensino fundamental cresceram 12,7%, um total de 3,3 milhões de matrículas a mais. As matrículas no ensino superior oficial cresceram de 971 mil em 1994 para 1,8 milhões em 2000.
O governo FHC criou o FUNDEF para incentivar e melhorar o estudo fundamental .
O governo Lula criou o PROUNI que significa pagar com dinheiro público o estudo de pessoas em escolas particulares. Lula anunciou a criação do FUNDEB ainda na campanha de 2002(se apossaram da idéia do FUNDEF e ampliaram o programa). O FUNDEB não está implantado até hoje.Está ainda no papel. Lula ainda demitiu o Ministro Cristóvam Buarque por telefone, por ele criticar a falta de verbas para a educação e não concordar com a política educacional de Lula

9-REFORMA AGRÁRIA
Foram assentadas no governo FHC entre 1995 e 2002, 1.219.600 famílias(média de 152.450 por ano). De 2003 até 2005, foram assentadas 235 mil famílias(média de 78.300 por ano).
O número de invasões de terra não diminuiu neste governo mas pelo menos não invadiram o sítio de Lula em São Bernardo do Campo.

10-ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL
De 1995 a 1999, o número de crianças de 5 a 15 anos ocupadas na produção caiu 25%, passando de 5,1
para 3,8 milhões. O esforço brasileiro foi reconhecido em maio de 2002 pela Organização Internacional do
Trabalho (OIT).
O governo Lula erradicou o PETI(Programa de Erradicação do Trabalho Infantil).

11-SEGURANÇA
OK. O governo FHC não deu atenção à segurança como devia. Mas o governo Lula prometeu construir 4 Penitenciárias Federais. Até agora só construiu uma que tem como inquilino somente um preso.Fernandinho Beira-Mar.

12-COMBATE À POBREZA
O número absoluto de pobres no governo FHC caiu de 65 milhões (média de 1990 a 1994) para 55 milhões(média de 1995 a 2000). A proporção dos pobres caiu do patamar médio de 42% da população, em 1990/1994, para a média de 33%, em 1995/2000.

13-ECONOMIA
A taxa média de crescimento do PIB entre 1994 e 2002 foi de 2,4%.A taxa média de crescimento do PIB entre 2003 e 2006 atingirá 2,5%( quase a mesma coisa). A taxa média de crescimento dos países emergentes no resto do mundo foi de 6%.
A taxa média de juros reais entre 1994 e 2002 foi de 8 % ao ano.A taxa média de juros reais entre 2003 e 2006 foi de 12% ao ano.

A carga tributária no governo FHC subiu de 29% para 34% do PIB.Foi perverso, reconhecemos. Mas estava previsto em Lei que a CPMF devia diminuir em 2003 para 0,1%, a alíquota do IRRF de 27,5% para 25% em 2003. A carga tributária no governo Lula subiu de 35% para 40% do PIB. Mantiveram as alíquotas da CPMF e do IRRF. Aumentaram as alíquotas das Contribuições Sociais(PIS,COFINS e CSLL). O número de tributos subiu para 73. O brasileiro hoje trabalha 5 meses do ano para pagar impostos que são desviados na corrupção, nos gastos exorbitantes do Estado, nos lençóis egípcios do Palácio da Alvorada, no AeroLula. Estima-se hoje que 10% (cerca de 40 bilhões de reais!!!) do total arrecadado de impostos seja desviado em corrupção e outros 10% em incompetência de gestão da coisa pública.

A taxa de câmbio artificialmente sub-valorizada e a falta de incentivos, levou o agro-negócio quase à bancarrota.Por falar nisso, levou o Brasil de novo ao time de países com febre aftosa.

14-ÉTICA
(painel FSP de outubro/2002)
"Lula lançará um "pacote ético" antes da posse. Ministros e funcionários de primeiro escalão terão de abrir mão dos sigilos bancário e fiscal antes de assumirem os cargos. Além disso, parentes de primeiro grau dos ministros terão de apresentar ao governo declarações anuais de renda". E como ficam José Dirceu,Marcos Valério, Delúbio Soares, Silvinho "Land-Rover" Pereira, os homens do caixa-2?


15-POLÍTICA INTERNACIONAL
FHC foi elogiado em todo o mundo pela postura de estadista e o Brasil ganhou prêmios sobre a condução da política social.Viajou pelo mundo utilizando o sucatão ou avião comercial alugado.Teve grandes vitórias na OMC, principalmente contra o protecionismo agrícola.

Enquanto isso hoje assistimos abismados:
- O luxuoso Air Force 51 e as suas mais de 400 viagens internacionais; Evo Morales enganando Lula e tungando a Petrobrás e o Brasil;Hugo Chavez passando a perna em Lula.
-A diplomacia brasileira no governo Lula perdeu todos os contenciosos na OMC.Se o câmbio estivesse em valores mais adequados à realidade, estaríamos hoje exportando 30% a mais do que exportamos.




sexta-feira, outubro 06, 2006

Curtas e grossas

Uma semana antes do primeiro turno, o Ministério da Fazenda faz corte de 1,6 bilhões de reais no orçamento para manter o equilíbrio fiscal. Uma semana depois, o Ministério da Fazenda libera 1,5 bilhão de reais para obras nos estados onde Lula perdeu para Alckmin no primeiro turno. É ou não é uso da máquina pública?
*******

O hino do PMDB:
vejam aqui .
*******

A ex-juíza Frossard declarou que Alckmin não gosta do Rio. Alckmin teve 28% dos votos lá. Concluo que 72% do Rio não gosta de Alckmin(nem do Brasil).
*******

Curioso. Não estou vendo Mercadante aparecer no plenário do Senado matraqueando a sua numerologia manipulada sobre o "fenomenal" desempenho do governo Lula nos últimos 500 anos. Será vergonha de aparecer perante seus pares? Em compensação, a arrogante e desagradável figura, a Senadora Ideli ataca todo dia o governo FHC.
Gente, segundo a petralhada,está provada a teoria dos universos paralelos. Num, Lula governa o Brasil noutro, FHC ainda governa o Brasil e eles querem governar os dois.

*******

O PT deve achar um bode expiatório para o "dossiêgate" até amanhã. Mas a pergunta que não quer calar é esta:


quinta-feira, outubro 05, 2006

Apoios

Lembrem-se destes nomes:

José Sarney/Paulo Maluf/Ciro Gomes/Fernando Collor de Mello
O que eles têm em comum? Todos apóiam Lula, todos são políticos poderosos de renome e todos declaram publicamente a honestidade de Lula.

Mas uma outra coisa eles têm em comum: TODOS pertenceram ao PDS, ex-ARENA, o partido dominante da ditadura. Todos têm um traço de autoritarismo, de populismo na sua biografia. Basta ver o queixo erguido, a arrogância na sua postura pessoal e política. Uns mais educados, outros truculentos e malcriados.

É com eles que Lula se identifica aceitando de bom grado o seu apoio. Entende-se agora porque Lula diz que tem o demônio dentro dele.O demônio do totalitarismo. Porisso que se compara a Vargas. Vargas foi um ditador.
*******
Lula vai debater com Alckmin comparando o governo FHC com o dele. Se eu fosse Alckmin, na primeira tentativa de comparação sacaria a Carteira de Identidade e mostraria a Lula dizendo: "Sabe ler? Qual é o nome que está escrito aqui? É Fernando Henrique Cardoso? Não! É Geraldo Alckmin! Não fui eu quem governou o Brasil por 8 anos. Nem fui ministro daquele governo! O debate aqui é entre Lula e suas propostas e Alckmin e suas propostas. Não entre Lula e Fernando Henrique."
Tenho a certeza que calaria o Apedeuta ali.

segunda-feira, outubro 02, 2006

Primeira etapa ultrapassada

Mais pela incompetência do PT e pelo salto alto de Lula do que pelo esforço tucano, temos um segundo turno.
E será difícil, apesar do novo alento da militância tucana. Com Lula tendo 6 pontos à frente, a missão de Alckmin agora será tirar mais votos de Lula, além de tentar trazer para si os votos da Loló e de Cristóvam. No primeiro turno, ele tirou 3 milhões direto do Lula. Terá que tirar mais 3 milhões agora. E onde estão estes votos?
Quem me lê deve ter visto um post meu há 15 dias atrás, onde dizia aos responsáveis pela campanha tucana: "É a Grande São Paulo, estúpido!"
Agora vendo o mapa de votação, eu digo a eles:

"É no Rio de Janeiro e em Minas Gerais, pessoal!"


P.S: Foi realmente uma vergonha conterrâneos meus elegerem novamente pessoas que qualquer cidadão de bem não convidaria para serem sócios. Não ouviram o Ministro Marco Aurélio de Mello.Isto foi uma vergonha!
(Editando e fazendo um adendo: A vergonha não é estendida aos paulistas de bem, a grande maioria deste povo honesto e trabalhador. Afinal, os que reelegeram o bando, foram na sua maioria petistas e petista não é paulista. É uma raça à parte)

domingo, outubro 01, 2006

Como combater a maré vermelha?

O que é maré Vermelha?
As marés vermelhas, correspondem a um aumento do número de indivíduos de uma dada espécie, formando manchas de coloração visível nos mares(nem sempre vermelhas), devido à alta densidade. Ocorrem principalmente em águas do Brasil, ricas em nutrientes. Podem causar morte de peixes, pelo consumo exagerado de oxigênio e produção de toxinas. Estas toxinas agem no sistema nervoso. Os moluscos geralmente não são sensíveis, mas podem acumular estas toxinas, que podem atingir o homem e outros mamíferos através da ingestão destes.

Entenderam?









Para combater a maré vermelha, devemos evitar a poluição das águas. Elas ficarão azuis. Água azul é água despoluída, livre da maré vermelha.





Hoje, é dia de derrotar a maré vermelha, símbolo de poluição, com as ondas azuis que representam a limpeza.
Que todos hoje votem a favor do Brasil!