Translator

terça-feira, setembro 06, 2016

A operação Greenfield

Esse rolo dos fundos de pensão me traz a lembrança de quem viveu e conheceu de perto o mecanismo de financiamento de empreendimentos usando o dinheiro desses fundos. É uma informação, não um testemunho pois não participei dos meandros mas soube de detalhes por pessoas que assistiram de perto o esquema. 

 Desde que existem estes fundos, os investidores sempre tentaram sobrevalorizar seus empreendimentos para minimizar o valor do dinheiro que sairia de seu bolso.Porque a Lei limita em 70% o valor que os fundos poderiam aportar no empreendimento, deixando os restantes 30% por conta do investidor. Assim, se um determinado empreendimento custava X para ser construído, o investidor encomendava estudos técnicos para demonstrarem que custaria X+30%. Assim, caso o fundo ao examinar os dados aprovasse o investimento, o investidor não precisaria colocar toda a sua parte. Dessa forma, muitos empreendimentos foram assim construídos. 
Os mais notórios são os shopping centers cuja grande maioria no Brasil foi construída dessa forma.Não que todos os empreendimentos tenham conseguido realizar essa maracutaia tecnico-financeira pois a área técnica dos fundos por vezes apontava as distorções e negava o aporte. 

Antes da era petista, os fundos eram dirigidos por gente competente mas sempre havia um que escapava da análise técnica por lobismo ou pelo fato do pessoal técnico dos fundos não ter competência para analisar corretamente ou pelos dois casos .

A partir de 2003, Luiz Gushiken, o falecido dirigente petista, passou a indicar os responsáveis pela gestão dos fundos de pensão das estatais notadamente o PREVI,FUNCEF, fundos dos bancos do Brasil e da Caixa Federal e PETRUS da Petrobrás, os maiores fundos do país. Indicou para dirigir tais fundos pessoas ligadas ao PT, sindicalistas fiéis ao partido. Aí, juntou-se a fome com a vontade de comer. 

Por anos a fio, ficou a desconfiança que empresários malandros em conluio com os administradores dos fundos e com o aval do governo sobrevalorizavam o empreendimento e em contrapartida, parte do dinheiro era desviada para suprir os custos de campanha política e os bolsos dos envolvidos. Pior, muitos empreendimentos não tinham retorno adequado o que ao longo do tempo causaria prejuízo aos fundos o que se constatou na realidade. É o caso atual do POSTALIS dos Correios que não tem dinheiro para bancar os pecúlios e aposentadoria dos participantes. 

Portanto, não espanta o fato de estarem sob investigação pela operação GREENFIELD os empresários citados na imprensa, os dirigentes de fundos e o ex-tesoureiro do PT. Como se vê o governo petista aparelhou as estatais, os fundos de pensão, profissionalizou a maracutaia em seu benefício e em benefício de empresários gananciosos e malandros. Mas em prejuízo do Brasil. 
O mesmo procedimento aconteceu no BNDES, ainda por apurar e que é a maior parte do iceberg da sujeira. Aguardemos a justiça.

quinta-feira, setembro 01, 2016

Arre égua! Bah Tchê! Uai, sô! Caramba! Caracas! Até que enfim! Aos lutadores da blogosfera, obrigado!

Essa vitória(meia vitória na verdade) é de todos nós, lutadores de 15 anos contra o mal da estrela vermelha que nos assolou. Quero aqui agradecer e me congratular com Saramar Mendes, Stella Lucia,Star Sassa,Ricardo Rayol Braga, Aluizio Amorim,Worf Neto,Adriana Vandoni,Augusta de Carvalho,Kika Albuquerque,Orlando Tambosi,Guilio Sanmartini(in memorian) , Jurema Cappelletti, Jussara Domene Gehrke,Fábio Mayer,Fernando Carvalho,Carlos Emerson Junior,Carlos Antonio ,Layla Fiusa,Roque Sponholz, Jorge Serrão do Alerta Total, todo o pessoal do grupo do Facebook Oposição ao PT Já e todo o pessoal dos vários grupos de oposição do Facebook  e outros blogs políticos que diuturnamente (e noturnamente, segundo Dilma, hehehe ) combateram e combatem o lado vermelho da força. Apesar de ter sido uma meia-vitória pelo menos tiramos o PT do poder central o que já é muita coisa. Agora é continuar lutando para extirpar de vez o PT da vida política do Brasil e com eles todos os seus aliados e agregados malandros e corruptos que ainda sobraram e quem sabemos muito bem quem são. 
Não posso deixar de citar aqui outros lutadores da imprensa séria e da ciência política como editorialistas do Estadão, Bolívar Lamounier, Eduardo Graeff, Os Antagonistas, Augusto Nunes, Reinaldo Azevedo, Marco Antonio Villa, Diego Casagrande, Percival Puggina, Joice Hasselman e tantos outros. 
Algum político digno de ser citado aqui? Só me lembro de um que me representou. Ronaldo Caiado. 

Outros poucos que reconheço,combateram de verdade o petismo neste processo de impeachment não são dignos porque lhes faltou em algum momento coerência e coragem de dar a cara a apanhar. 

 
Se esqueci alguém, me desculpem, reclamem, mas estendo também aos guerreiros esquecidos por mim. Temos ainda muito que lutar e continuemos de olho porque há muito ainda que se fazer para o Brasil a voltar aos trilhos dos quais foi desviado pelos populistas, mentirosos, corruptos, malandros de plantão.

sábado, agosto 06, 2016

Impressões sobre a apresentação da Olimpíada ontem

Na minha opinião, a apresentação ontem que foi uma grande oportunidade de mostrar a um público de 3 bilhões de pessoas em todo o mundo quem somos de verdade, mas não foi. Foram perdidas grandes oportunidades.

Foi um show de plástica, especialmente o acendimento da pira olímpica mas em termos de conteúdo pecou e muito. Afinal quem vê cara não vê coração, não é?

Talvez pelo momento, não muito favorável pela situação política e econômica, onde não se soube adaptar o virtual ao real o resultado não atingiu o efeito que se esperava.

Quando Lula pensou em promover o evento, os tempos eram outros. Ninguém sabia que por trás da iniciativa, que hoje sabemos, foi meramente populista, estava em curso paralelo um assalto perverso ao bolso e à dignidade do povo chamado Petrolão. Muitos achavam (e alguns ainda acham) que o Brasil era o país dos reis da cocada preta. De 2007 para cá, muita coisa mudou. O Rei foi desnudado, sua sucessora está para ser deposta por incompetência e corrupção, o desemprego está nas alturas, a recessão econômica é a pior dos últimos 80 anos, mas o projeto da Olimpíada foi em frente até o ponto sem volta. Os promotores poderiam ter feito uma "gambiarra" para melhorar a apresentação mas o resultado não foi este.Preferiram manter ainda uma conotação ideológica irreal.

Por falar em voltar, voltemos ao assunto da apresentação.

O tema das etnias que formaram o país que é hoje que foi apresentado. Deu a impressão a quem não nos conhece que o país foi formado por índios que aqui já viviam, por escravos negros, por japoneses e por árabes. E na verdade, o Brasil é talvez até mais que os Estados Unidos, um "melting pot" de etnias mundiais. Um gigantesco grupo étnico da formação brasileira foi ignorado como os imigrantes italianos, alemães, europeus em geral que na verdade foram os maiores construtores da economia do Brasil. Grosso modo, etnicamente, 35% da população é de descendentes diretos de ibéricos, italianos e alemães, 52% são mestiços das mais variadas ascendências, uma mistura de europeus e etnias de outras origens das mais variadas com negros ou índios, 6% são descendentes diretos de negros africanos, 2% de asiáticos, 1% de outras origens européias como as escandinavas e do Leste europeu, 3,5%% de pessoal do Oriente Médio e 0,5% índios puros.Somos de maneira linda,formados por diferentes grupos étnico-raciais que nos marcam em termos culturais, como um dos países onde esta expressão é das mais ricas no mundo. Viva este Brasil! A porcaria é que vivemos uma concepção etnográfica assentada em uma antropologia de visão distorcida pela ideologia de fancaria de gente de miolo mole mais interessada em seus umbigos que no povo.

 No campo da cultura popular, especificamente da música, houve loas aos grandes sambistas de morro o que é ótimo, mas com muito pouca evidência.

No caso da lembrança da bossa nova nascida no Rio de Janeiro, que marcou uma época e até hoje é lembrada no mundo, os produtores pecaram pela falta de informação. Lembraram Tom Jobim (justíssimo), mas esqueceram de Vinícius, de Menescal, de Bôscoli, de Carlos Lyra, de Edu Lobo e outros tantos cariocas que exaltaram a cidade pelo mundo todo através da música.

Teria sido muito mais impactante e respeitoso quando Giselle Bundchen desfilou (e nesse caso, começar com Helô Pinheiro passando a faixa para Giselle), passar no fundo um pout-pourri das músicas e com flashes das imagens dessas personalidades. Afinal, há símbolo musical mais significativo do Rio que além de Garota de Ipanema e Samba do Avião, O Barquinho, Corcovado,  Ela é Carioca e tantas outras? Mas não, essas músicas foram compostas pelos "coxinhas" da época e não são povão, não pode mostrar. Aí a ideologia de fancaria predominou ou a incompetência intelectual valeu o que dá no mesmo.  

Por fim, o apelo à ecologia. O Diretor Fernando Meirelles, todos sabem, foi o marqueteiro de Marina Silva, a rainha da mata. Aí mostrou um tema populista contra a poluição mundial causada pela queima do petróleo mas escondeu aquilo que todo o mundo sabe.  O montão de esgoto "in natura" jogado nas águas da Baía da Guanabara e da Lagoa Rodrigo de Freitas onde os valorosos competidores olímpicos irão navegar atrás de suas medalhas.  Quanta incoerência!

Sem contar a desnecessária presença das bundas no final, absolutamente desnecessárias, da ridícula Regina Casé, da mumificada Elza Soares, de um  Gilberto Gil saído diretamente de uma sessão de hemodiálise, de um Caetano Veloso senil  e cá entre nós, da Anita cantando um clássico de Ary Barroso que não tem nada a ver com o Rio de Janeiro. Jorge Benjor empolgou além de ser um legítimo representante da cidade do Rio de Janeiro mas foi só ele. E Tim Maia, minha gente?

domingo, maio 22, 2016

Avanços e recuos dentro de um novo tempo

 
Como escrevi em post anterior, o governo interino tem somente 11 dias. Tem gente por aí que leio, ouço, um tanto afoita. É até natural que muita gente queira que a situação mude da água para o vinho rapidamente mas as coisas não são assim.Sempre digo que apressado come cru.
Temer foi empossado como Presidente INTERINO, pois o processo do impeachment não acabou. Ainda temos até 169 dias para que Dilma seja definitivamente afastada do cargo e daí, sim, esse novo governo terá liberdade para agir. Pressionado pela sociedade para mostrar serviço, o governo enxugou ministérios e nessa leva, extinguiu várias pastas entre elas a da Cultura e nesse caso depois de 3 dias voltou atrás. Deu a maior gritaria de um lado e de outro.
Os que gritaram mais alto, como sempre, foram os antes beneficiados pelas benesses da pasta, mas na realidade essa gritaria não só se deveu à perda do dinheiro e dos cargos mas principalmente, por terem encontrado uma deixa para bombardear o novo governo. A reação é principalmente de razão política.
Dirão alguns que o novo governo deu um tiro no pé. Outros, que o novo governo é fraco, se rendeu à oposição.
Meu pensamento hoje, depois de refletir sobre o assunto é que a iniciativa da extinção foi boa mas faltou combinar com os russos como se diz no popular. Um pouco mais de calma, de conversa, teria sido melhor.Tanto faz a Cultura virar Secretaria como continuar Ministério, desde que se cortem verbas e cargos dos apaniguados.Afinal, a Lei Rouanet e a Lei de Incentivo à Cultura não foram nem serão revogadas. Mas o mal foi feito e o recuo deve ser tratado pelo novo governo como uma mostra de flexibilidade e não de fraqueza.
Os novos governantes e até quem comemorou a saída do lulo-petismo do poder têm que entender que os cães ladram, mas a caravana passa. Se nós, por qualquer deslize desse tipo começarmos a bater no novo governo,  só iremos dar força aos opositores para voltarem. É isso que queremos?

O novo tempo tem somente 11 dias

Hoje o governo interino completa somente 11 dias. Vejam bem: 11 dias! A reação da hoje, oposição, que até 13 dias atrás estava no poder, era esperada. Até que não foi violenta, mas foi imediata e virulenta como aliás sempre foi o comportamento da linha de frente do ex-governo. Milhares de apoiadores do PT e de seus satélites ainda permanecem em cargos governamentais e obviamente conspirando contra, sabotando e desqualificando. Ou alguém achava que as coisas se dariam calmamente? Se alguém acha é ingênuo. Como não há transição, o novo governo tenta entender o que existe nas caixas pretas criadas por longos 13 anos de poder, tenta descobrir o que há escondido debaixo dos tapetes dos palácios e repartições, tenta descobrir os rombos econômicos escondidos nas gavetas, computadores e armários. E ao mesmo tempo precisa rechaçar os ataques e pressões de quem, apeado do poder, perdendo as mordomias, os cargos bem remunerados quer a volta ao passado recente.Isso leva tempo. Não serão 11 dias que se irá desconstruir o que levou 13 anos para construir.
Passado este de triste memória, onde se pretendia obter uma hegemonia mais do que ideológica, uma hegemonia de cunho populista e autoritário, com cerceamento de liberdades e um nivelamento por baixo de toda a sociedade, impondo a todos um pensamento único.
E pior,como provado e comprovado pela Justiça, apoiada por um Ministério Público sério, por uma Polícia competente esse passado recente implantou um sistema organizado e sistemático de assalto aos cofres públicos nunca antes visto na história não só do Brasil, mas do mundo moderno! E também, uma sucessão inacreditável de ações incompetentes, provocou uma recessão econômica histórica só igualada talvez pela recessão mundial da década de 30 do século passado.
E basta notar que a maior parte dessa recessão foi provocada dentro do país. É mera desculpa mentirosa dizer que a recessão mundial de 2008 foi a causa da derrocada econômica. Não foi não. O governo do PT teve 8 anos para se preparar e minimizar os efeitos daquela recessão. Em 2008 tinha toda a condição política e econômica para evitar e nada fez, ao contrário, manteve o pé no acelerador quando devia prudentemente frear e se preparar para o pior. Por que isso? Por razões meramente políticas, num afã de completar seu projeto de poder o mais rápido possível. Deu no que deu.
Agora, querem voltar. É tarde porque a sociedade acordou. Há um novo componente no debate político que é a tomada de consciência de grande parte da sociedade antes silenciosa, omissa, acomodada e que graças à perseverança de um pequeno grupo de pessoas, jornalistas, intelectuais, onde por longos 13 anos ou até mais, ajudado pela difusão da Internet, dos blogs, das redes sociais, sempre esteve debatendo, batalhando e alertando sobre os perigos e armadilhas do bando que chegou ao poder em 2002. É o início de um novo tempo. O início de um novo tempo onde a influência negativa e bandida do grupo apeado do poder é reduzida. Não se iludam, ainda não é neutralizada. Ainda existirá para nos atormentar e cabe a nós, sociedade do bem, mantê-los sob controle. Continuemos alertas! O preço da liberdade é a eterna vigilância.  

domingo, maio 15, 2016

Continuo afirmando. É sempre melhor ter um cachorro amigo que um amigo cachorro.

Quem acessa meu skype lê esse lema do título. Aprendi com meu pai.

Ontem às 11 horas da noite, morreu mais um amigo. O filho de outro meu amigo, o pai dele, o Ralf que morreu tem 6 anos. Joquinha. Um cachorrinho que nasceu em 2002, minha filha o escolheu, lhe deu o nome e cuidamos dele por quase 14 anos. Quando o pai dele, também um companheiro amoroso e querido morreu, escrevi neste blog. Está aqui. http://estoudeolho.blogspot.com.br/2010/02/e-sempre-melhor-ter-um-cachorro-amigo.html

 Tem 3 meses que o Joquinha me encarava fixamente com os olhinhos arregalados como se quisesse dizer: "Amigo, estou velhinho, doente e cuida de mim pois eu não posso mais cuidar de você como sempre fiz.Mas me dê o carinho que você sempre me deu". Eu o acomodava junto de mim, ele dormia tranquilo.

Ontem, chegamos em casa e ele estava em crise. O levei ao veterinário e lá se tentou de tudo, em vão. Chegou a hora dele.

Sabem? Dificilmente sinto tanto a morte de uma pessoa como sinto a morte de um animal de estimação ainda mais quando ele vive ao nosso lado. Como seres racionais que somos, encaramos a morte como inevitável e nos preparamos para tal. Porém, mesmo sendo racionais, não conseguimos enxergar a perda de um companheiro irracional como normal. Porque o cão não tem ódios, não tem invejas, não tem neuras. O cão só tem amor e dedicação a quem lhe trata bem, lhe abriga e cuida dele. O cão é binário. Gosta de quem lhe agrada e não gosta de quem lhe agride.Não tem dissimulação, falsidades.Não mente. Que bom seria que os seres humanos juntassem sua racionalidade ao sentimento canino. O mundo seria bem melhor.




Deus te cuide querido amigo.

 

quinta-feira, maio 12, 2016

Até que enfim! (de verdade)



Uma etapa importante na luta contra o lulo-petismo hoje foi vencida. Por 55 votos a 22 Dilma foi afastada da Presidência por 180 dias. Esse número indica como poderá ser a votação ao final do processo. Mas, há uma coisa importante. Se Temer que assume hoje não corresponder às expectativas do povo, da imprensa livre e de seus agora apoiadores políticos, Dilma poderá voltar e seu retorno com o lulo-petismo será pior. É difícil mas não impossível. Ainda mais que o PT na oposição será implacável, possui aliados na imprensa e no STF cujo Presidente atual é notoriamente favorável ao lulo-petismo, embora Lewandowsky só fique até agosto.

A hora é agora. Temer tem que agir rápido em tomar junto com sua equipe ações para recuperação da economia, desaparelhar o governo e instituições para evitar sabotagens, cuidar das reformas política, administrativa, tributária, mostrar credibilidade interna e externa. Temer não é bobo. Sabe que seu sucesso depende da credibilidade que adquirir pois ele e seu partido até pouco tempo atrás, participava das benesses que derrubaram o país. Há uma diferença. Hoje nós, o povo do bem, estamos de olho e assim continuaremos. O brasileiro mais informado adquiriu mais consciência política e essa consciência não se perde.

E agora, a Operação Lava-Jato deve acelerar e tirar da circulação aqueles denunciados até agosto. Contamos com um STF mais ágil e objetivo. Nas eleições de outubro, cabe ao povo tirar uma boa parte de maus políticos do poder. Caso essas coisas aconteçam, teremos um 2017 bem melhor. E vamos em frente. Eu continuo de olho. 

sábado, maio 07, 2016

Até que enfim! (quase)

Comecei a escrever este post antes do desfecho da votação em plenário da admissibilidade do impeachment da presidente da República. Mas com certeza será uma votação esmagadora. Dilma cai não só pelas pedaladas que deu mas pelo conjunto de sua obra e também pelo conjunto nefasto e populista de toda a obra petista em 13 longos e dolorosos anos no poder.
Em 2002, Lula foi eleito e muitos esperavam (eu não) que com ele o Brasil continuasse crescendo de forma sustentável como vinha desde o impeachment de Collor em 1992. Ledo engano. Houve crescimento sim, mas as bases fincadas no governo que o antecedeu foram lenta e sorrateiramente solapadas por um projeto que visava somente o poder e não um futuro melhor para os brasileiros.
Lula tinha tudo para reduzir desigualdades ao mesmo tempo que manteria as bases de crescimento contínuo que realimentaria a redução das desigualdades por meio da riqueza adquirida. Assim fosse, chegaríamos hoje a um país bem melhor que em 2002, mas não chegou e explico a seguir com números e fatos.

Tínhamos no final de 2002 uma inflação de 12% em grande parte causada pela especulação e temor do governo Lula e um desemprego estatístico de 11,5% (cerca de 9 milhões de desempregados). Em 2002, o país cresceu só naquele ano 3,1%. Na média de 10 anos (1993/2002) , cresceu 2,6% por ano. Em 2002 o Brasil era a 8a. economia do mundo. A carga tributária corrigida pelo IBGE era de 32% .
O que temos hoje? Uma inflação que passa dos 10%, um desemprego estatístico de 11% (11,5 milhões de desempregados), um crescimento negativo estimado este ano em -4%, o crescimento médio de 2003 até hoje de 2,6%. O Brasil continua sendo a 8a. maior economia do mundo.A carga tributária é de 36%, maior que em 2002. Nesses pontos não mudou quase nada.

O que mudou?

Em 2002, já havia o sistema social de Bolsas-Auxílio que elevava o número de desempregados/desocupados reais para cerca de 16 milhões de pessoas, 10% da população. Hoje depois de malandramente mudarem o nome para Bolsa-Família, o número de desempregados/desocupados reais passa de 41 milhões de brasileiros, 20% da população!!! Dobrou!

O governo petista alardeou que milhões subiram da classe D (pobre) para a classe C (média-baixa ou remediada). Assim como subiram, caíram de volta. Quem antes só via avião subir e descer em aeroporto e segundo o petismo passou a viajar de avião, hoje volta a ver avião subir e descer em aeroporto.Imaginem como isso dói na auto-estima desse povo.

Mudou também e para pior, MUITO PIOR, a corrupção, a roubalheira de dinheiro público. Antes a corrupção existia,sempre existiu, não foi inventada pelo PT. Mas o PT fez mais, a transformou em método, a organizou em quadrilhas, a transformou em crime organizado. Se antes se estimava que a corrupção corroía 10% dos impostos por ano, hoje se calcula que a corrupção engole 25% dos impostos! Você, leitor, trabalhava 4 meses do ano para pagar impostos e desses 4 meses, 15 dias era para alimentar governante e político ladrão. Hoje, trabalha 5,5 meses do ano para pagar seus impostos, e destes 5,5 meses, 41 dias são para alimentar governante e político ladrão.
Já pensou nisso? 

Criou-se nesse período o eufemismo PETRALHA para designar os detentores do poder e seus comparsas. Termo muito bem aplicado que virou até palavra de dicionário.Esse termo demonstra bem a falta de ética, a falta de honestidade, de transparência desse grupo de pessoas (ou seria melhor chamá-los de bando) que tomaram de assalto o país.Tentaram reagir com o termo COXINHA que seriam as pessoas que como eu, se opuseram a eles nesse tempo todo. Ao final, esse termo acabou significando gente do bem, honesta, trabalhadora de verdade, com bons princípios e que não se rendeu a eles.Aí partiram para a ignorância bem a seu estilo. Passaram a taxar quem se opôs e se opõe como REACIONÁRIOS, GOLPISTAS, FASCISTAS(sem nem saberem direito o que esse termo significa), e outros termos nada elogiáveis.Pois bem, os COXINHAS estão vencendo os PETRALHAS.
Ainda há um longo caminho a percorrer, mas agora existe um bom caminho.

Por fim, mas não esgotando o assunto, como não há mal que perdure quando o bem está dentro da gente, o mal está no fim, a casa está caindo como na  letra do poetinha Vinícius ("tantas você fez, que ela cansou, porque você rapaz, abusou... um dia a casa cai").


Num próximo post continuo.Me aguardem. 

segunda-feira, abril 18, 2016

The Day After

Em julho de 2004, dei início a este blog. Era para ser um blog pessoal de assuntos diversos, mas que derivou rapidamente para um blog de assuntos políticos a partir de janeiro de 2005. Coincidiu com o escândalo do Mensalão. De lá para cá, são quase 12 anos de batalha, sempre denunciando e criticando as maracutaias e incompetências do PT no governo do país, desnudando as mentiras de seus integrantes, especialmente de Lula e seus asseclas. Ontem, foi dado o passo mais importante e talvez decisivo para tirarmos o lulo-petismo do poder. Uma importante batalha foi vencida.

Nesses anos todos,eu e vários amigos também em seus blogs e depois no Facebook brigamos juntos para ver esse dia acontecer. Alguns foram ficando para trás, desistiram, mas outros ainda permanecem aqui, na mesma luta. Saramar, Star, Stella, Augusta, Ricardo Rayol, Orlando Tambosi, Aluizio Amorim, Fábio Mayer, Ozéas, Fernandão-O Mascate, Carlos Antonio sempre blogando francamente, Jurema Capeletti, o grande arquiteto Roque Sponholz com suas charges magníficas e críticas nos divertindo e a tantos outros. Pessoal, continuemos na luta.

Falta pouco. Ainda este ano, o PT sai do poder e volta para a oposição junto com seus satélites da esquerda burra e irresponsável. E a batalha continuará, para anularmos a influência nefasta dessa gente na sociedade brasileira. A Operação Lava-Jato se encarregará de limpar os corruptos da cena política. Convoco outros juízes sérios para saírem da moita e se juntarem a Sérgio Moro. Rogo ao eleitor brasileiro que examine bem os candidatos na hora de votar. Ontem vimos ao vivo a laia que existe em Brasília. É hora do recomeço pois o lulo-petismo quase consegue destruir o país com seu projeto de poder.

Continuamos na luta com um aviso aos políticos que irão substituir o petismo. Estaremos sempre de olho e não pensem que nos dispersaremos. Chega de mentiras, chega de corrupção, chega de demagogia barata. O povo brasileiro não merece mais isso. 



quinta-feira, abril 07, 2016

Ler é cultura

Lula diz que não gosta de ler porque dá sono. O ato de ler à noite dá sono porque é a hora que a maioria das pessoas estão cansadas e o cérebro cansado produz uma substância chamada melotonina que causa a sonolência.O melhor seria ler durante o dia, preferencialmente de manhã. Lula não gosta de ler e dá essa desculpa. Lula na realidade é o que chamamos de apedeuta, aquele que acha que sabe tudo e não quer aprender mais. É por isso que Lula é um ignorante. Não é um imbecil, mas é ignorante.

Reinaldo Azevedo define bem no seu blog. Escreve ele:

"Lula é o nosso índio de casaca porque adepto do método da orelhada, fruto da chamada cultura oral: ouve aqui, ouvi ali, ouve acolá e vai formando uma narrativa.Lula não precisa ler. Ele já sabe o necessário. Já veio sabendo. Se não lê como presidente, imaginem quando era sindicalista, um ambiente sempre muito propício ao cultivo do espírito."


Quem tem o hábito de ler, ganha várias vantagens sobre quem não lê. A pessoa ganha mais entendimento, mais cultura, reflete melhor, melhora seu vocabulário, escreve melhor, se informa melhor e até se diverte.

Ler em cruz: Quem lê em cruz um texto longo, pode ter entendimentos distintos sobre o assunto que lê.Na maioria das vezes, entendimentos errados.Um texto longo deve ser lido com atenção e levar à reflexão.

Ler manchetes de jornais e sites: A manchete é um texto curto que tem como objetivo chamar a atenção para o texto longo relacionado à manchete. No caso da imprensa escrita, serve como motivação comercial ou serve como distorção da verdade, no caso de imprensa sensacionalista ou tendenciosa. Muito cuidado com as manchetes.  

Mas, ler é cultura sim! Um povo que lê, adquire cultura, tem entendimento da situação. Daí Lula apregoar ao povão que é bobagem ler. Faz parte da retórica do projeto de poder incentivar o povo a ler menos ou não ler, para não se aculturar e dessa forma poder ser mais influenciado por quem sabe mais. Quem tem o hábito de ler, adquire a habilidade da leitura dinâmica e de melhor entendimento do assunto tratado.

Textos curtos: Textos curtos, servem para leitura em ambientes coletivos como a internet mas devem ter começo,meio e fim. Uma piada tem que ter começo,meio e fim, uma frase bem elaborada tem que ter começo,meio e fim. Num texto curto bem escrito, a pessoa que tem bom entendimento graças a seu melhor aculturamento confirma o dito popular "que para bom entendedor, meia palavra basta". Mas o texto curto pode levar a um mal entendimento, contrariando o dito popular.

Bordões: "O bordão é uma palavra ou uma locução esvaziada de sentido e sem função morfossintática que se repete num discurso ou numa manifestação geralmente de forma inconsciente ou ou automática, consistindo um item linguístico ou uma estratégia de apoio para o falante", diz o dicionário. Um bordão deve ser explicado num texto. Bordão sem explicação é mera tentativa de motivar a massa ignara. Exemplos atuais: "NÃO VAI TER GOLPE", "IMPEACHMENT JÁ!" Tais bordões sem a devida explicação de seu conceito num texto não têm validade se as pessoas não souberem porque ouvem e repetem.
Palavra ou locução esvaziada de sentido e sem função .morfossintática, que se repete no discurso, geralmente de forma inconsciente ou automática, constituindo um tique .linguístico ou uma estratégia de apoio para o falante

"bordão", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/bord%c3%a3o [consultado em 07-04-2016].
alavra ou locução esvaziada de sentido e sem função .morfossintática, que se repete no discurso, geralmente de forma inconsciente ou automática, constituindo um tique .linguístico ou uma estratégia de apoio para o falante

"bordão", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/bord%c3%a3o [consultado em 07-04-2016].


Esse meu texto pode ser considerado longo, mas tem uma finalidade expressa em seu título. "Ler é cultura".