Translator

sábado, janeiro 24, 2009

A que ponto chegamos(II)

A discussão sobre o caso "Battisti" está quente no post anterior.

Eu sou a favor de mandar o BANDIDO Battisti para a Itália pra ser julgado lá.

Eu sou contra a decisão do Ministro "Ideológico" da nossa Justiça. Ministro da Justiça tem que ser imparcial e Tarso Genro não é. Ao contrário, é um homem ressentido e parcial que defende castas hoje privilegiadas pelo esquerdismo torto de uma minoria oportunista que se apossou do poder embaixo de mentiras e enganações.

5 comentários:

Marquer disse...

São criminosos defendendo um criminoso.

Afinal de contas, qual o passado de dilma roussef, josé dirceu, franklin martins...???

Aliás, qual o passado do PT?? Virar o disco de Celso Daniel?? Muito pelo contrário, este ficou como um marco!!

paschoal disse...

É isso aí Tunico, nada a acrescentar. Isto é...uma vergonha!

Kozel® disse...

Tunico,
Não é só vc,imagine um plebiscito pra saber o q a população acha de dar guarida a terroristas...

Fábio Mayer disse...

Os boxeadores cubanos foram devolvidos à ditadura dos Castro em tempo recorde, sem cometer crime nenhum, querendo apenas uma vida melhor, num país sem a ascendência do Estado a lhes controlar as vidas.

Já o tarrorista e assassino de 4 pessas, Battisti, que pelo jeito radicalóide deve ser amiguinho da filhinha radicaloide e ultra-ativista do ministro, foi salvo da Justiça também em tempo recorde.

Ambos os episódios por obra e graça do mesmo ministro da justiça (com J minúsculo mesmo!).

Marquer disse...

Tomar um cargo de importancia não define a capacidade que tenha.

A capacidade será definida e medida quando sentar na cadeira e atuar quanto as exigencias do cargo...

E este, ja mostrou ser infinitamente incapaz ao cargo.

...ele, seu chefe, sua colega "ex"-terrorista, seu amiguinho lider do partido marginail...