Translator

quarta-feira, junho 25, 2008

Ruth Villaça Correa Leite Cardoso

Foi-se a D. Ruth. Tinha a idade de minha mãe. Talvez uma das mais proativas esposas de presidentes que este país já teve.
Ótimo exemplo de mulher, mãe, educadora, cientista e principalmente ser humano.

Enquanto esteve com o poder ao alcance de suas mãos, não o utilizou para pagar sessões de botox nem comprar roupas de griffe. Não se fantasiou de caipira nas festas juninas para posar de popular, nem usou maiô com um tucano na barriga para demonstrar sua preferência política. Não mandou plantar um jardim de flores no Alvorada representando o símbolo do partido do seu marido. Não pediu cidadania estrangeira pois era uma legítima brasileira que mesmo no exílio comportou-se dignamente. E se algum dia ela caiu da cama e quebrou a clavícula, ninguém soube. Ninguém sabia inclusive que ela era cardíaca.


Apesar de discreta, não era figura decorativa. Dizem que Deus escreve certo por linhas tortas.

Foi preciso D. Ruth morrer para a sociedade ficar sabendo quem realmente se preocupou em melhorar as condições sociais dos mais pobres com a implantação de um programa assistencial e de inclusão. Um programa que foi deturpado e transformado em mera esmola e que hoje serve como peça de propaganda daqueles que se intitulam criadores mas na realidade são usurpadores das suas idéias em proveito próprio. Hoje eles envergonhadamente reconhecem quem foi a verdadeira implementadora do programa que hoje se chama Bolsa-Família. Leiam e assistam as declarações cínicas dos governistas nos jornais e no noticiário da TV.

Esses mesmos governistas que tentaram pouco tempo atrás por pura mesquinharia política, deturpar a imagem irretocável desta senhora no caso dos cartões corporativos. E hoje sabemos que a iniciativa daquela tentativa rasteira de desqualificação partiu de dentro do Ministério comandado por uma mulher petista, que tem por assistente a mentora da sacanagem outra mulher petista e que covardemente encarregou um assecla petista de montar o tal dossiê.

E eu pergunto: qual perfil de mulher pública vocês preferem? Um perfil como o de D. Ruth ou um perfil como o das as "cumpanheras do PT" que acabei de "homenagear" nos posts anteriores?

Descanse em paz, D. Ruth. Condolências ao Dr. Fernando Henrique Cardoso e sua família.

8 comentários:

ZEPOVO disse...

Sinceridade, eu esperava bem mais de vc ao elogiar Dna Ruth que merece cada palavra dita e muito mais. Sem duvida um exemplo para o Brasil, e tivesse FHC ouvido mais sua esposa teria feito um governo muito melhor.
Totalmente desnecessária a comparação, principalmente nos termos em que foi feita com Dna Marisa e até as petistas em geral. Até eu que sou meio tosco achei de mal gosto.
Vamos creditar ao momento emocionante de pesar somado a indignação mais acentuada que vc está passando nos últimos tempos.
Francamente Tunico,pega leve, com menos ódio vc é mais eficiente.

posturaativa disse...

Caro Tunico, infelizmente o reconhecimento sempre chega tarde, se é que chega.
O país é carente de pessoas como a Ruth, que pensam e trabalham em prol de um país melhor.

tunico disse...

Zé, oportuna a comparação. Por trás de um grande homem sempre tem uma grande mulher. E Lula pode ser grande político mas como homem é pequeno. Visa somente seu interesse. Não é de mau gosto não. É verdade. E a verdade dói.

Ricardo Rayol disse...

enquanto isso no palácio do planalto...

tita coelho disse...

Ela foi fantástica mesmo Tunico, realmente o Brasil perde uma grande pessoa. Achei necessário o paralelo entre Dona Ruth e Marisa Letícia... Como brasileiro se esquece de tudo, daqui a pouco algum boçal capaz de comparar as duas! Bate na madeira kkkkkkkk
É realmente uma pena, Dona Ruth fazia as coisas acontecer!
beijos

CAntonio disse...

Caro Tunico,

Ouvi de um dos colaboradores do FHC (Floriano Pesaro) palavras de muito carinho para com essa mulher única (antes, bem antes do seu passamento).

A bem da verdade, qualquer mulher (não esposa de político ou petralha) desse imenso Brasil, tem um perfil superior ao da primeira inutilidade desse país.


SDS.

Suzy disse...

Hahaha! Adorei (econcordo com o comentário do Cantonio.

Ronald disse...

Meu caro Tunico, existem pessoas que não podem ser comparadas, de maneira alguma e, uma delas é dona Ruth.

Oras, deixa a Ruth e leva a Ideli. Já pensou amanhã levar nossa querida Arns e deixar na terra a mãe do PAC?