Translator

terça-feira, janeiro 08, 2008

O perigo de apagão - parte 3

Ainda hoje novamente os jornais alertam para o risco de falta de energia a médio prazo. Apesar de termos um potência instalada em hidrelétricas da ordem de 90.000 MW as usinas hoje, graças à falta de chuvas estão com 44% de sua capacidade, gerando um déficit que está sendo suprido em parte pelas termoelétricas a gás. Porém se essas termoelétricas têm capacidade total de 12.000 MW somente 4.500 podem ser usadas pela falta de gás.Mais que isso, vai faltar gás para consumo doméstico e veicular. Este governo por falta de planejamento eficaz não conseguiu em 5 anos aumentar a capacidade energética ou colocar em prática um plano de mudança da matriz energética com o uso de fontes alternativas. Repete portanto o mesmo erro do governo anterior. Agora vemos que esta falha de planejamento tem origem. Nosso primeiro ministro do planejamento foi o Manteiga, substituído depois pelo Paulo Bernardo. Ambos oriundos do meio financeiro e bancário e sem a devida competência para exercerem tal função. Estamos portanto hoje, sujeitos ao humor de São Pedro.

Este terceiro artigo de Laurez Cerqueira aponta as alternativas que se implantadas podem reduzir o risco de apagão a médio prazo.
(cliquem aqui para ler)
*******

Update: FRASES SÁBIAS (hehehe)-cliquem aqui

12 comentários:

tita coelho disse...

É...Gostei da idéia de criar uma fábrica de velas... Pq não nomeiam São Pedro para Ministro!
beijos

Jussara Gehrke disse...

o ano não está começando bem para o Lula: cresce a ameaça do apagão, a oposição tá caindo em cima, até o Garibaldi meteu o pau, tem a ameaça da febre amarela (nunca antes nestepais)... e ainda a entrevista do Dirceu que tá dando pano pra manga!

mentiras e malandragem não duram pra sempre.

Fábio Mayer disse...

Apagão energético se combate com planejamento estratégico, coisa que não há no Brasil, especialmente neste governo que contrata muita gente inútil que só sabe planejar as próximas eleições. Senão vejamos:

1. O que a Petrobrás jogou (e está jogando) fora na Bolívia não seria melhor aplicado em explorar gás no Brasil?

2. Impulso ao Programa Nuclear da Marinha não facilitaria ao país projetar e executar novas usinas com custos melhores?

3. Uma melhor divulgação institucional do PROCEL não seria mais eficaz que essa discussão estéril de que o apagão não vai ocorrer ou de que não há risco dele?

Aqui no Paraná, há uma usina termoelétrica fechada, porque o bolivariano governador sentia-se incomodado pelo fato dela ser propriedade de uma empresa americana, a El Paso. Daí ele rompeu o contrato com a tal empresa e quando o estado estava para ser condenado num tribunal arbitral internacional, pagou 300 milhões para comprá-la e mantê-la inativa. Esses 300 milhões não seriam melhor aplicados para gerar energia ou invetir nas usinas da COPEL ao invés de comprar outra, por birra do senhor governador?

Pior que o apagão elétrico é o apagão moral e intelectual desses que se dizem "governantes".

FELIPE REDONDO disse...

Tunico, sou DEM desde os mais remotos tempos. Oposição de verdade tá ali. Ainda bem que temos um representante digno de nosso voto. O DEM saiu em socorro dos pobres BANQUEIROS contra esse absurdo IMPOSTO DO LUCRO DOS BANCOS. Viva o DEM!!!


DEM entra com ação no STF contra aumento da CSLL

O DEM protocolou hoje no Supremo Tribunal Federal (STF) uma segunda Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) contra o pacote de medidas anunciado pelo governo para compensar a perda que terá na arrecadação com a extinção da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). A ação contesta a medida provisória (MP) que aumentou de 9% para 15% a alíquota da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) paga pelas instituições financeiras.



No processo, o partido argumenta que a MP fere o princípio da irretroatividade tributária, pois o fato gerador do imposto - o lucro obtido pelos bancos - data de 2007, antes da vigência da medida provisória. O DEM pede que a MP seja liminarmente derrubada até o julgamento de mérito da Adin. Entretanto, o mais provável é que a presidente do STF, Ellen Gracie, deixe a decisão a cargo do plenário, em fevereiro. Ontem, o partido já havia recorrido ao tribunal contra o aumento da alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

tunico disse...

Felipe, na boa.

Eu não sou DEM, nem SEM, nem BEM, nem NEM. Mas eles têm direito de reclamar. O fato real é que se passar, os bancos repassam na boa o aumento para os correntistas. Fique frio. Aliás já passaram preventivamente. O Unibanco aumentou as taxas de cheque especial de 8,5% para 11,33% de dezembro para janeiro. E se o STF der razão ao DEM, as taxas já foram aumentadas e não diminuirão. Esse governo de merda deu arma para os agiotas. Como sempre, incompetente.

Ricardo Rayol disse...

será porque o governo anterior era do Lula? ehehehehe

Santa disse...

Meu querido, quem ainda puder que saia deste país... Fico imaginando daqui nos próximos 5, 6, 8, 10 anos!!!

andre wernner disse...

Pois é, Tunico
Mas para evitar que esse apagão não se consuma, aconteça, o governo precisaria ser mais rápido, ágil e eficiente nessa área, e está demonstrando que não o é.

O ano de 2007 foi perdido em se tratando de investimentos no setor. E isso gera uma grande preocupação no setor empresarial, principalmente. Aliás, em todos os setores, como o turismo sofreu no auge do apagão aéreo.
Abs

Felipe Redondo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Stella disse...

e hoje dia 9 ministro de minas e energia disse que não haverá racionamento e apagão
então preparem-se

Jussara Gehrke disse...

é isso Stella, bom nos prepararmos porque já sabemos como é o discurso do governo: dizem e desdizem.

Felipe Redondo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.