Translator

sábado, dezembro 08, 2007

A semana termina ...

Porque hoje é sábado, 8 de dezembro de 2007.
Feriado religioso em muitas cidades do Brasil.
A palavra sábado deriva do latim sábbătum, que deriva do hebreu Shabbath, que significa: descansar, cessar, parar.
Mas sabemos que tem gente lá no Planalto que não vai parar neste sábado pois as negociatas estão mais do que nunca a pleno vapor. As ofertas de facilidades em cargos e quem sabe até ofertas em espécie para comprar mentes e corações de senadores e senadoras devem estar cada vez mais altas. Sabe-se lá quanto do nosso rico dinheirinho, inclusive da própria CPMF, será investido para fazer com que a CPMF seja aprovada na terça-feira.
Permito-me aqui fazer uma paródia em cima dos famosos versos de Vinícius de Moraes sobre este sábado, 8 de dezembro de 2007, dia de N. Sa. da Conceição. Afinal se Lula se permite parodiar a música de Raul Seixas intitulando-se "metamorfose ambulante", humildemente sinto-me no direito de fazer o mesmo com os versos do poetinha.

Neste momento há um parlamento
Porque hoje é sábado
Há um senador e um regimento
Porque hoje é sábado
Há um político que veta
Porque hoje é sábado
Há um governo e uma mamata
Porque hoje é sábado
Há um espetáculo de malas
Porque hoje é sábado
Há um senador que se humilha e cala
Porque hoje é sábado
Não há renovar de esperanças
Porque hoje é sábado
Há sim uma profunda gastança
Porque hoje é sábado
Há um sedutor na Granja do Torto
Porque hoje é sábado
É um grande espírito-de-porco
Porque hoje é sábado
Há um opositor que vira casaca
Porque hoje é sábado
Porque não passa de um babaca
Porque hoje é sábado
Há um piquenique de políticos
Porque hoje é sábado
Há um grande acréscimo de cargos
Porque hoje é sábado
Há um paulista e um mineiro
Porque hoje é sábado
E um gaúcho que não parece brasileiro
Porque hoje é sábado
Há o paraibano e o cirurgião acreano
Porque hoje é sábado
Vampirizados pelo pernambucano
Porque hoje é sábado
Há um grande aumento no jabá
Porque hoje é sábado
Há um governo louco pra comprar
Porque hoje é sábado
Há um garden-party na Alvorada
Porque hoje é sábado
Há uma irascível lula assada
Porque hoje é sábado
Há senadores de todas as classes
Porque hoje é sábado
Uns difíceis outros fáceis
Porque hoje é sábado
Há um cantar e um comprar sem conta
Porque hoje é sábado
Haverá uma senadora que irá de tonta?
Porque hoje é sábado
Há governistas passeando à paisana
Porque hoje é sábado
Há um frenesi de dar banana
Porque hoje é sábado
Há a sensação angustiante
Porque hoje é sábado
De estarmos impotentes
Porque hoje é sábado
Há uma comemoração fantástica
Porque hoje é sábado
Da primeira traição prática
Porque hoje é sábado
E dando os trâmites por findos
Porque hoje é sábado
Há a perspectiva do domingo
Porque hoje é sábado

(Desculpe Vinícius, mas se você estivesse entre nós faria o mesmo)

8 comentários:

MARCO ANTONIO disse...

Tunico,

Devem estar preparando o referendo para a CPMF. Poís, estão bolando um. Faço até um comentário lá no meu bloguinho sobre essa mania bolivariana.

Um abraço.

Marcos disse...

De fato um bom adendo ao original, tão bom quanto.

Ricardo Rayol disse...

Se ele estivesse entre nós teria se mandado pra Paris há muito tempo... genial meu amigo.

tita coelho disse...

Bravo Tunico!! Fizeste bem...lembraste bem!! Lá no meu blogue uma humilde homenagem pra ti!!
Beijos

Stella disse...

e porque hoje é sábado povão está alucinado fazendo compras ou fazendo suas orações para iemanjá e porque hoje é sábado eles estão pensando no jogo de amanhã, mas te asseguro que não estão nem aí com que apedeuta e companheiros estão fazendo com o dinheiro deles.
e olhe, se sair mesmo esse referendo, não duvido nada que eles aprovem a cpmf, só porque hoje é sábado e provavelmente o referendo será num domingo

andre wernner disse...

Tunico, meu caro escriba!
Você interpretou a alma do povo brasileiro, esse povo cansado e torturado pôr governos insensatos, gulosos, festeiros e, ao mesmo tempo, covardes.

Covardes porque não tem a capacidade, com os bilhões ou trilhôes? dos recursos oriundos dos impostos, melhorar a qualidade de vida do povo sofrido e vilipendiado desde o Descobrimento do Brasil.

Não tem populista de alma pura, de amor farto, de sinceridade irrepreensível! Todos querem a mamata do Poder, e o poder da dominação que, com esse mesmo dinheiro sugado do povo, cria dificuldades para vender facilidades aos que se unirem na mesma causa...

Você – meu caro Tunico – no mesclar desse poema, mostrou-se um sábio! Um entendedor dos meandros e dos corredores escuros da República, cuja sensibilidade paira e tudo observa. E mais do que isso, põe no papel. Digo, no blog.

Falar é preciso. Denunciar é necessário. Mais uma eleição se avizinha e, todo cuidado é pouco, para que o baralho dos falastrões da política não seja o mesmo das eleições anteriores.

É preciso mudar o baralho, não apenas na tonalidade, mas também às cartas viciadas, repetidas e já estragadas. Precisamos de mais valetes – digo, valentes! –, mas não precisamos de reis nem rainhas, menos ainda das damas que se entregam, no Congresso ou fora dele, pôr pacotes de verdinhas...

O único verde aceitável é o verde da esperança!
Da esperança de um Brasil melhor, mais justo para todos sem que o sangue volte a derramar...
Afinal, a democracia supera todas as invencionices dos mascates do oportunismo, da discórdia disfarçada e da tirania que se quer impor.
A democracia é como o ar que respiramos naturalmente. Qualquer outro sistema é ‘balão de oxigênio’ e que pode ser retirado a qualquer momento...
Abs

Jussara Gehrke disse...

genial, como sempre!
tenho certeza que o poetinha está assinando junto.
parabéns!

shirlei horta disse...

Adorei.... E isso me deu idéia pro meu blog... Hummmm. Vou pensar, vou pensar...