Translator

sábado, dezembro 09, 2006

The Invaders from Red Star-Episódio 4

Quarto episódio – O projeto de poder de Tranbik se põe em marcha









(Resumo do episódio anterior).
Os trambikeiros decidiram a dominação de forma mais ou menos pacífica. Iriam se misturar à população local e criar uma liderança. Através desta liderança, com o tempo conquistariam o poder. Reinaldinho brigou com o jovem casal trambikeiro, foi parar no hospital como esquizofrênico depois de receber uma luminosidade vermelha e saiu de lá pelas mãos de seu amigo Dioguinho.

Principais personagens deste episódio:
- Reinaldinho e Dioguinho – os dois jovens que sabiam que os tranbikeiros eram invasores extra-terrestres;
- Molluska, Zex Trambik, Libanik, Zex Genuine, Louis Gushy, Rick Vigaristoini – líderes e membros do Conselho do Planeta Tranbik;
- Suplyssysky – Conselheiro para assuntos sócio-político-econômicos aleatórios e cantor folclórico nas horas vagas.


-Na volta para sua casa, Reinaldinho contou a seu amigo o que vira desde a primeira noite e como teria ido parar no hospital. Estava ciente que aquele casal não era deste mundo e que fazia parte de uma raça que viera para dominar o Brasil e depois o planeta. Dioguinho, um entusiasta do cinema e das letras, interessou-se pelo tema fantástico e convencido da sinceridade de seu amigo, propôs que os dois se juntassem para investigar os propósitos daqueles seres e caso se confirmassem as suspeitas de Reinaldinho, denunciariam ao mundo as intenções dos tranbikeiros. Fariam disso a razão de suas vidas. Reinaldinho ressaltou que aquela raça gostava de ostentar uma estrela vermelha com um estranha símbolo “PT” em seu bojo. O símbolo estava na nave, na barraca, nas roupas dos seres.

Após a discussão com Reinaldinho, o casal imediatamente voltou à nave (que estava camuflada como barraca de camping) onde estavam os demais líderes e decidiram iniciar imediatamente seu plano de poder.


(nota do autor 1: os tranbikeiros tinham um notável poder de dissimulação e podiam com seus artefatos camuflar qualquer objeto)

-Genuine propôs eliminar o jovem terráqueo com a arma desintegradora. Libanik achou melhor esperar pois o plano de levar o jovem ao hospital e interná-lo como esquizofrênico poderia dar certo. Qualquer tentativa de denúncia do jovem à população ou às autoridades locais seria desqualificada por esta condição. Aliás, a idéia seria mesmo essa. Qualquer pessoa que desconfiasse das reais condições e intenções dos tranbikeiros e tentasse denunciar as suas malévolas intenções deveria ser imediatamente desqualificada, pedindo provas das denúncias e chamando o denunciante de “membro da elite burguestóide”

(Nota do autor 2: “elite burguestóide” era uma antiga casta oposicionista em Tranbik que propunha um maior liberalismo no planeta e que foi devidamente eliminada através de golpes baixos e falsos dossiês contra seus integrantes. Seu líder, Heffeagahssê, era um membro da casta dos cientistas sociais e era muito invejado por Molluska pela sua sabedoria, qualidade que o líder máximo dos tranbikeiros não possuía. Diz a história que muitos membros desta casta se aliaram aos tranbikeiros em troca de cargos na burocracia tranbikeira.)

-Os tranbikeiros saíram então a campo. Misturaram-se ao povo, infiltraram-se no meio operário qualificado, nas universidades, nas repartições burocráticas, entraram em filas de bancos, do INSS. Perceberam que o povo local era muito influenciado pela imprensa. A liderança militar autoritária local no poder há 15 anos, utilizava à farta a imprensa oficial e alguns órgãos privados, comprados com verbas publicitárias para divulgar seus feitos e incutir no povo a sensação que tudo ia às mil maravilhas no país. O povo todo parava pontualmente às 8 horas da noite para assistir na televisão uma série novelística onde os ricos eram malvados, os pobres eram bonzinhos e no final todos viviam felizes para sempre.

Suas observações não se limitaram ao povo local. Viram também que no planeta Terra existiam povos subjugados por ditaduras que se diziam “comunistas/socialistas”onde havia uma minoria rica dominante e uma maioria pobre dominada através da força e do cerceamento de liberdades básicas. Tinha uma tal de Cuba, ilhota paradisíaca dominada por um tal de Fidel há 20 anos, uma tal de URSS, o maior país em extensão da Terra, dominada por uma casta chamada de “Soviet Supremo” há mais de 60 anos, um outro grande povo, a China, dominada por uma casta amarela denominada “maoísta” há trinta anos e mais outros tantos povos dominados de forma similar. O controle do poder sobre estes povos era muito igual à forma de poder dos tranbikeiros em seu extinto planeta.

Mas havia o outro lado. A grande maioria dos povos da Terra vivia num sistema de governo e economia denominado capitalismo democrático onde todos tinham liberdade de ir e vir, de expressão, de empreender, de ter propriedades. O Estado provia somente as necessidades básicas como educação e saúde, retornando os impostos recolhidos do povo. O poder era exercido por líderes eleitos periodicamente, alternados de acordo com a vontade popular em eleições livres. Eram povos muito prósperos. Não era bem a praia dos tranbikeiros.

O país onde os tranbikeiros pousaram era uma mistura esquisita dos outros. Castas minoritárias ricas e privilegiadas aliadas a uma uma casta autoritária que comandava, uma casta majoritária de pobres e miseráveis. Liberdades? Relativas. Nem lá nem cá. Havia um capitalismo esquisito onde de acordo com um ditado popular era “levar vantagem em tudo” expressão difundida por um famoso esportista da época.
Havia uma casta minoritária chamada de “esquerda intelectual” que lutava para se sobressair e implantar as idéias comunistas e socialistas “populares”. O povo ideal para ser dominado nos moldes tranbikeiros.

O Primeiro-Ministro Zex Tranbik interessou-se em conhecer como era a vida nos países comunistas e totalitários e começou por Cuba. Os demais líderes foram conhecer mais a fundo a tal da casta média local, onde seria o embrião do projeto de poder tranbikeiro. Louis Gushy e Rick Vigaristoini infiltraram-se na casta dos bancários, Libanik na casta dos religiosos, Zex Genuine soube que havia uma casta meio enrustida de ex-guerrilheiros. Guerrilha era com ele mesmo. Foi atrás. Suplyssysky ficou encarregado de infiltrar-se na casta dos políticos de esquerda. O líder máximo, Molluska, infiltrou-se na casta dos operários metalúrgicos que era grande na região.

(continua no próximo episódio)

Nota do autor: Esta é uma obra de ficção.Qualquer semelhança com fatos verdadeiros ou pessoas será mera coincidência

*******
Registro importante: Às 12:53 de hoje, sábado, este blog atingiu a marca de 15.000 visitantes. Claro que a metade disso são os clicks dos meus "dachshund" amestrados, Joca e Ralf(vejam eles na foto). Serjão, você tem um chimpanzé, eu tenho dois cãezinhos para aumentar a audiência do blog . Somados a esta marca, os acessos do blog do uol( http://estoudeolho.zip.net) , do blog wordpress(http://tunico.wordpress.com) e do meu antigo site "estou de olho", desde dezembro de 2002, são mais de 20.000 acessos. Obrigado aos meus 3 leitores que se esforçam para clicarem pelo menos 9 vezes ao dia!

5 comentários:

Santa disse...

Parabéns pelos acessos querido!! Metade disso são os clicks dos "dachshund"??. Seus cachorrinhos viciados na net, é isso?

Anônimo disse...

Salve Tunico! Pode contar com meu clique também, pois visito todo dia. Já faz parte da procissão diária de blogs que leio. Abração!

Anônimo disse...

Meu querido amigo, boa tarde.
Eu sou um dos seus três leitores (no caso, leitora).
Meus parabéns! Você merece, claro. Os blogs são excelentes. daqui alguns dias, dobramos essa marca.

Pode me enviar um email: saramar104@yahoo.com.br

Quero lhe enviar algo.
Obrigada.
Beijos

Ricardo Rayol disse...

Não há de que amigo Tunico... parabens pela marca.

Ka disse...

Parabens!!!
a você, ao Joca e Ralph, afinal quem digita é vc, e os dois observam rsrsr....