Translator

domingo, fevereiro 28, 2010

A sacanagem do imposto a mais


Segundo o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita (Sindifisco), a pedido de "O Globo", os brasileiros pagam até R$ 5 mil a mais de IR devido à diferença de 63,62% entre a inflação acumulada de 1995 a 2009 (de 195,15%) e as correções promovidas pelo governo nas faixas da tabela, de apenas 80,39%. O desastre, porém, não poderá ser empunhado como arma nem pelos petistas nem pelos tucanos, já que ambos garfaram a renda da população ao não levar em conta a inflação no cálculo do IR. Então, o que resta ao contribuinte: sentar e chorar?
Além de indecente, a garfada é injusta: trabalhadores com salário entre R$ 1.434,60 e R$ 2.347,28, por exemplo, pagaram IR com base em uma alíquota de 7,5% ou 15% em 2009. Se a tabela do Imposto de Renda tivesse acompanhado a inflação, eles seriam considerados isentos.
Procurada pela reportagem do jornal, "a Receita Federal informou apenas que não vai comentar a defasagem na tabela". Por que tanta arrogância, afinal não é o contribuinte que sustenta o salário dos servidores da Receita?
E, para piorar, o governo, aliás, a Secretaria da Receita Federal, decidiu (na surdina) que vai analisar com carinho as contas dos grandes contribuintes - bancos, empresários -, proibindo as Receitas estaduais de os multar. Afinal, são eles os grandes financiadores da eleição.
Resumindo: vai sobrar mais carga ainda em cima do contribuinte pessoa física. Profético, "O Globo" informa em sua edição deste domingo que a "meta fiscal é a nova menina dos olhos de Mantega (ministro da Fazenda)".

Cá entre nós: um candidato responsável prometeria acabar com esta defasagem, concordam? Afinal, sobra dinheiro na arrecadação e se os gastos públicos forem contidos, a gestão da coisa pública for mais eficiente, vai sobrar mais ainda para fazer justiça fiscal.

5 comentários:

Jussara Gehrke disse...

será que é possivel ainda aparecer alguém que vai administrar a grana assim?

a impressão é que quando chegam lá e botam os olhos em tanta grana não conseguem ficar sem botar as mãos!

blaise2 disse...

IR já virou caso de polícia aqui.Já começa que imposto de 'renda' em cima de salário?Tenha dó.
A sanha arrecadadora da RF foi turbinada pela passagem do Everardo Maciel
Eles sempre sabem que estão lesando o contribuinte,vide precatórios,mas o fazem com a conivência de uma Justiça que não é só lenta,morosa, é também cúmplice no crime de lesa-pagadores.Porque ricos mesmo não pagam impostos;nem de renda,nem porcaria nenhuma.Os bancos estão aí pra provar.

Anônimo disse...

Tunico, há alguns dias fiz um comentário que deve ter lhe parecido muito estranho. É que lhe confundí com outra pessoa, que não vejo há muito, por uma série de coincidências.Fiquei muito constrangida quando percebí o engano.
Peço desculpas, então, pelo tom íntimo e brincalhão, já que sou uma desconhecida.
De qualquer modo, parabéns pelo blog.
Lia.

Fábio Mayer disse...

Junte-se a isto a falta de atualização da tabela do SIMPLES e do SUPER SIMPLES, que calcula os impostos das pequenas empresas.

A tabela do SIMPLES foi criada em 1997 e só foi corrigida em 2002. A tabela do SUPER SIMPLES foi criada em 2007 e até hoje, não teve nenhuma correção.

Como se trata de um imposto progressivo,ou seja, a acumulação de faturamento implica em entrar em alíquota mais alta, a não correção gera um aumento generalizado de tributos.

Anônimo disse...

*OFF TOPIC*

Para quem concorda e ainda não teve oportundade de assinar o Manifesto pela chapa-pura Serra-Aécio, fica aqui o convite:

http://www.serra-aecio.com.br

Caso já tenha assinado, pode divulgar a todos os seus contatos também!
Abçs!