Translator

segunda-feira, setembro 10, 2007

Pobre país

Pobre país cujos cidadãos precisam pressionar seus congressistas para condenarem um colega que faltou com o decoro parlamentar.
Pobre país onde a corrupção impera impune.
Pobre país onde o honesto é considerado idiota e o desonesto considerado esperto.
Pobre país onde seus políticos atingiram o auge da falta de ética.

Pobre país onde o Estado não dá condições de educação a 40% de seu povo.
Pobre país onde seus governantes mentem descaradamente para o seu povo e ninguém tem coragem de os desmascarar.
Pobre país onde a eficiência é penalizada.
Pobre país onde uma minoria séria e trabalhadora é forçada a entregar dois quintos dos ganhos de seu trabalho para sustentar uma minoria de "pais-da-pátria" vagabundos e parasitas que ainda têm o descaramento de mandá-la relaxar e gozar e de quebra afirmarem que os impostos se reduziram.
Pobre país cujo povo não tem voz.
Pobre país cujo povo que não tem voz não quer sequer tentar deixar de ser mudo.


(Eu havia escrito este pequeno texto ontem de madrugada e me deparei hoje com o artigo publicado no Estadão sobre o mesmo tema. Foi coincidência? Não foi não.
É a consciência dos honestos que está aflorando pouco a pouco. Leiam o artigo no link abaixo)

5 comentários:

Ricardo Rayol disse...

Pobre país que tem um semi-analfabeto orgulhoso no poder.

Saramar disse...

Tunico, que todos os deuses o ouçam.
Muito bom o seu texto.

beijos, boa semana para você.

shirlei horta disse...

Pobre do país que tem sequer vê o que está escancarado à sua frente.

Anônimo disse...

Tunico,

Educação é um dos nossos maiores problemas.

Quero lhe sugerir uma pesquisa a respeito do ensino publico nas pequenas comunidades (moro numa destas, mesno de 9000 hab), onde o acesso a escola dos quje residem no campo (camponeses ou campesinos, né, eita comunas) é feito através de onibus.
Só que tem um detalhe, os amigos e parentes do prefeito adquirem onibus e a prefeitura banca, é claro, e o problema é que em certas regiões, devido a distancia e "óóótimas" estradas, as crianças devem estar acordadas a partir das 03:00horas da madruga, pegam o escangalhado busão até a escola, e lá pelas onze e meia saem da escola e estão de volta em casa lá pelas tres e meia da tarde para esperar outra madrugada...

Uau! Que merda de infancia nós temos né! Tô sabendo que não é só no meu municipio não, há muitas outras localidades.

Fica a sugestão, é revoltante!

Abraços,

Wymac Uorres

Stella disse...

é caro Tunico, pobre país esse nosso onde políticos eleitos para representar o cidadão pensa somente em seus próprios interesses