Translator

quinta-feira, agosto 23, 2007

Sobre bairrismo...

Quando eu morava na Bahia, na década de 80, sempre senti um certo ranço contra os paulistas, inclusive entre os funcionários a mim subordinados na empresa que eu gerenciava.Isso ficava evidenciado em tiradas irônicas, às vezes até diretas e verbalmente agressivas. É claro que eu sentia um certo constrangimento pois em São Paulo, muita gente chama os imigrantes nordestinos em geral de “nortistas” ou” baianos” e o soteropolitano sentia-se ofendido com isso e generalizava seu rancor. Nessa época, São Paulo respondia por quase 50% do PIB brasileiro.

Mas isso ficou mais que evidenciado num episódio onde eu voltando da praia num domingo com esposa e filha pequena na Av. Paralela lotada de automóveis, fui ultrapassado e quase abalroado por um cidadão em alta velocidade, com o carro cheio de crianças, a porta traseira do carro aberta, nitidamente embriagado. Um convite à tragédia. Numa parada momentânea devida a um engarrafamento, acabei emparelhando com o cidadão e lhe chamei a atenção inclusive lembrando que ele carregava crianças no carro. Andei mais uns 2 quilometros na avenida engarrafada quando para minha surpresa, fui “fechado” pelo cidadão e mais um outro carro e por uns bons 500 metros, fomos agredidos verbalmente pelas pessoas e o adjetivo que mais ouvi foi “paulista FDP” e uma “delicada” solicitação para que eu voltasse à minha terra onde todo mundo é viado, piranha(alusão à minha esposa) e explorador dos nordestinos. Naturalmente, prossegui meu caminho e em certo ponto, eles se desviaram por uma transversal ainda xingando, tendo o episódio encerrado.

Comentando o episódio na empresa, um colega de Ilhéus me disse que era assim mesmo, o bahiano de Salvador é bairrista até com seus conterrâneos. Depois de quase 30 anos,passei quase o ano inteiro passado vivendo no Nordeste, com base em Aracaju/SE. Em Aracaju, não senti nenhuma atitude bairrista mas senti ainda muito forte o ranço com os paulistas e sulistas em geral em Salvador, Maceió e Recife.

O bairrismo segundo o Aurélio, é a ”qualidade ou ação de quem freqüenta ou habita um bairro. Quem defende os interesses do bairro ou de sua terra. Diz-se da pessoa que levada por uma visão estreita do patriotismo, só considera como sua pátria o estado natal e hostiliza ou menospreza tudo quanto se refere aos demais”.

Portanto o bairrismo é uma atitude que pode assumir duas visões sendo uma positiva e outra negativa.

Pois bem. O Presidente da Philips do Brasil Sr. Paulo Zottolo, em entrevista ao jornal Valor Econômico ao utilizar o estado do Piauí numa comparação e explanação do movimento “Cansei” foi infeliz pois despertou o bairrismo negativo. Os piauienses que assim como grande parte dos nordestinos vivem a ser incitados pelo “baiano” Lula a enxergar o Sul-Sudeste e parte do Centro-Oeste, as regiões mais ricas do país como elite exploradora numa verdadeira ação daninha de separatismo social, foram incitados pelo seu governador petista e pelos políticos regionais a se indignar contra uma declaração infeliz que foi posteriormente retratada. Mesmo assim, até uma grande rede de lojas nordestina cancelou os pedidos de produtos da Philips.No plenário da Câmara e do Senado, os políticos oportunistas de sempre, principalmente a Senadora Ideli Salvatti, proferem discursos imbecis e inflamados contra Zottolo, pedindo sua cabeça. A conotação político-ideológica é clara por parte dos governistas e no caso dos políticos ditos de oposição, o bairrismo negativo aflora, contribuindo para a lenga-lenga petista. Paulo Zottolo, considerado um dos melhores executivos brasileiros foi um dos idealizadores do movimento apartidário “Cansei”.

Eu sou um bairrista positivo pois nasci, vivo e moro no bairro do Sumaré na cidade de São Paulo e defendo sempre os interesses do meu bairro que ainda é uma das ilhas de verde e tranqüilidade perto do centro da cidade.

Finalmente, ainda no tema, quero aproveitar com o vídeo abaixo, para fazer uma homenagem ao meu estado e à minha cidade natal, que ainda são responsáveis por 35% da riqueza do país.Uma região que abriga mais de 6 milhões de nordestinos entre oriundos e descendentes. E pedir desculpas aos brasileiros por não termos impedido o crescimento político de Lula e sua turma de aloprados. Tentaremos corrigir isto até 2010.



Notem bem: a música é de Billy Blanco, um paraense que se apaixonou por São Paulo.

11 comentários:

Ricardo Rayol disse...

Meu amigo, quando se abre a boca e se está sob as luzes dos holofotes temos que ter muito cuidado com o que dizemos. Não há nada pior do que uma frase mal empregada. Nem vou comentar o entrevero automobilistico, passei por isso há uns 5 anos e não matei o cara de porrada por que fiz muito, mas muito pior.

Anônimo disse...

os piauienses que me desculpem, mas que se o piauí sumisse do mapa ninguém ia sentir falta ñ ia MESMO! hehehe =) eu sou a favor da formação de uma país independente entre sp e os estados do sul. o resto do país que se dane! =)

Blogue da Magui disse...

O texto está muuuuito bem escrito e demosntra o que se passa na alma paulista mais do que na do nordestino.Permita-me externar o meu pensamento tal qual vc.São Paulo é carregado nas costas pelos brasileiros em geral e que são obrigados a migrar para este estado porque as elites ( paulistas) e o capital internacional o escolheram como base, abocanharam o país e obrigam a outros nacionais a ganhar a vida ajudando a construir a riquesa de SP.Um exemplo é o estado do ES que é boicotado em massa por SP toda vez que quer buscar uma atitude política para o seu desenvolvimento ou no insentivo fiscal bravamente interrompido por SP.A distribuição de riquesas é a única saída para o desenvolvimento do Brasil como nação e todos os brasileiros contribuem na construção de uma nação assacada e achacada por políticos safados formados ou oriundos de todos os estados.Quem lidera deve dar o exemplo e não vemos isso.Em tempo e antes que venha me ofender: Não sou capixaba.E gente mal educada no trânsito não é privilégio da Bahia.

Stella disse...

ótimo texto Tunico, esse bairrismo exacerbado vem aumentando e muito no território nacional, vejo que vem crescendo esse movimento separatista do sul. Vejo também esse interesse de colocar os nordestinos contra o restante do país. E quanto a SP não há muito que dizer, por anos o estado sustentou o país, e se muitos vieram é porque aqui encontraram oportunidade, e cada estado da federação que defenda seus interesses, para isso que são eleitos os políticos.

CAntonio disse...

Perfeito Tunico,

Mas fiquei intrigado com a Magui."Um exemplo é o estado do ES que é boicotado em massa por SP toda vez que quer buscar uma atitude política para o seu desenvolvimento ou no insentivo fiscal bravamente interrompido por SP". Quem boicotou a compra da Garoto pela Nestlé foi o Estado de São Paulo?
Se São Paulo tivesse entrado na Guerra Fiscal prá valer, não haveria uma fabriqueta de pregos em qualquer lugar do Brasil.
O preconceito às vezes se esconde sobre outras formas.

Quanto ao Billy Blanco...Ninguém declarou mais amor a São Paulo como esse Paraense.

Mais uma vez, caro Tunico, Parabéns.

tunico disse...

CA, também não entendi. Creio que ela não compreendeu o sentido do meu post.E São Paulo foi o único estado que nestes ultimos 10 anos não entrou na guerra fiscal. Porisso perdeu várias indústrias e mais de 10% de participação no PIB brasileiro.

CAntonio disse...

E nós é que somos preconceituosos?

Fazer o quê né mesmo?

SDS.

Maneh de Boroh disse...

Tunico, meu rei, lamento discordar, mas muito antes do baiano Lula o preconceito do sudeste e sul contra o nordeste e seus nativos já existia. É lamentável o que ocorreu com o senhor numa desavença de trânsito com um baiano bêbado, mas o ranço nada mais é do que uma resposta a ridicularização que paulistas fazem de nordestinos. Bobagem isso, não existe povo mais brega do que paulista. Ele faz a maior força pra ser um novaiorquino e só consegue uma leve aparência com os caipiras do Kansas. Quanto aos baianos, povo porreta, é o carioca que teve preguiça de ir até São paulo e ficou no meio do caminho.
Paulistas não deveriam ir pro Nordeste. Querem sol e calor rumem para Cancún e se querem neve se mandem para Aspen, Colorado. Depois passem o ano inteiro morando em aptos. de 100 m² de área construída e comendo em pé na hora e meia de almoço que dispõem. Tudo tem sem preço. Ser 50% do PIB nacional nos anos 1980 custou aos nascidos no "Estado que carrega o Brasil nas costas" uma mutação genética curiosa. A população divide-se em sexo masculino, sexo feminino e a mulher paulista. Agora chupa essa manga.

kika Albuquerque disse...

Sorte sua que aconteceu na BAHIA, povo pacato!! Se fosse aqui onde moro, você teria TOMADO UM BALAÇO NOS CORNOS!!!!

Ramon disse...

Concordo com vc em algumas coisas, com outras não, sou paraibano e moro em Alagoas, e posso dizer a você, nesse país existe ofensa de um estado com outro, região com outra e até cidade com outra. Dentro do Nordeste somos um pouco mais unidos, devido a unificação que o Sudeste nos coloca, todos como Nordestinos, uma coisa só. Porém aqui tb existe desavenças, piadas de um estado com outro e etc.
Conheci muito soteropolitano que gosta de colocar defeito em outros estados da região, notei que eles adoram pegar no pé dos sergipanos. E se existe algum recentimento ao paulistas e pela imagem de superioridade que vocês passam, vocês são vistos aqui da mesma maneira que os norte-americanos são vistos por vocês. Aqui em Alagoas o baiano e pernambucanos são vistos como metidos porque chegam aqui colocando defeito em tudo e dizendo que lá é melhor, o problema que eles fazem isso direto e incomoda.
Os paulistas também gostam (nao todos e claro) de nos tratar como inferiores, sempre zombando e muitas vezes sem querer reconhecer qualquer qualidade nossa.
No Ceará e na Paraíba, acontece o mesmo que você passou com os cariocas, por motivo semelhante, eles usam o termo "ceariba", o que provoca rixa.
No Rio Grande do Sul, boicotaram a Globo e com razão já que a turma do Casseta e Planeta plantou a idéia que eles são homossexuais, muito embora eles adorem dizer que carioca é vagabundo, aliás que todo mundo no Brasil fora eles são vagabundos.
Enfim, aí vão dizer separem o Brasil!!! Aí nascer desavenças de cidades com outras (São Paulo e Campinas) e ai vão dividir São Paulo ao meio?

Anônimo disse...

SERGIPANO TAMBÉM NÃO GOSTA DE BAIANO. SE ELES FALAM MAL OU PEGAM NO PÉ DE SERGIPE, ELES QUE PEGUEM UMA GALINHA PRETA GORTA E VOLTEM PRA BAHIA KKKK