Translator

terça-feira, novembro 28, 2006

The Invaders from Red Star-Episódio 3

Resumo do capítulo anterior:Os trambikeiros viram através de seus monitores da nave o tipo de povo que habitava a região onde pousaram e o restante do planeta. Imaginaram então como dominar este povo.


Numa assembléia dentro da barraca de acampamento convocada pelo líder Mollusca, Zex Tranbik sugeriu então que a melhor forma de dominar este povo seria se misturar à casta da classe média que trabalhava muito e ganhava pouco e aos poucos criar uma liderança dos trambikeiros neste segmento do povo que pela análise das gravações, influenciava a opinião da maioria da casta dos pobres.
Uma vez formada esta liderança, seria mais fácil jogar as castas média e pobre contra a atual casta privilegiada, derrubá-la do poder e uma vez assumindo o comando, juntar as castas média e pobre numa só.
Genuine discordou. Achava que deviam imediatamente usar as armas de desintegração e dizimar o povinho local ao que o Conselheiro Religioso Libanik mais conhecido em seu planeta por Fray Bettik, contestou. O poder devia ser tomado pela enganação e não pela violência.
O Comissário do Operariado de Tranbik, Rick Vigaristoini (famoso em seu planeta por ter acabado com o déficit previdenciário baixando um decreto que determinava a execução sumária dos idosos assim que chegavam à idade de aposentadoria), alertou para um particular. Dentro da casta da classe média, havia uma grande sub-casta de operários industriais especializados e de trabalhadores burocráticos de instituições financeiras e públicas que pelas gravações vistas nos monitores da nave, viviam insatisfeitos apesar de auferirem salários razoáveis em comparação com a maioria do povo.
Tinham também a grande ambição de ascenderem socialmente e um dia se tornarem donos dos negócios de seus patrões. Constituíam o grupo perfeito para ser manipulado e influenciado como embrião do projeto de dominação.
Depois de várias discussões que duraram cerca de 24 horas, a tese de Libanik venceu em consenso. O projeto de dominação do povinho local pelos trambikeiros seria pacífico, lento, gradual e seguro(copiaram esta idéia do antigo líder militar local – aliás, os tranbikeiros eram mestres em copiarem as idéias alheias e se dessem certo, se apossarem das mesmas como sendo suas).

O primeiro passo seria os tranbikeiros se misturarem àquela sub-casta da classe média como sugerido pelo conselheiro Zex Tranbik, conquistar a liderança deste grupo e daí, prosseguirem no plano de dominação do restante. Uma concessão ao conselheiro Genuine foi feita. A violência poderia ser utilizada, mas só após decisão em consenso pela Assembléia Diretiva de Tranbik.

(Aqui vai um parênteses do escriba: Por que os tranbikeiros só decidiam em consenso? Porque desta forma se as consequências de suas decisões não dessem certo, ninguém poderia alegar que não sabia de nada. A responsabilidade era coletiva pelas decisões)

Reinaldinho estava inconformado com o fato de que o motel Fantasy sumira e no seu lugar havia uma barraca de acampamento e desconfiou que aquilo havia sido obra daqueles dois. O casal disse que estavam ali há dois dias e não tinham visto nenhum motel por perto. Disseram ainda que eram simples trabalhadores e não teriam dinheiro para pagar um motel na sua lua de mel e porisso armaram uma barraca no local para consumarem seu casamento. Reinaldinho ficou nervoso e passou a acusar o casal de estar mentindo pois ali existia um motel sim, que havia sumido. O jovem barbudo então, disse que não sabia de nada do que Reinaldinho estava falando e ficou agressivo. Chamou Reinaldinho de burguesinho a serviço das elites e que queria estragar a lua de mel de um pobre casal de operários que não tinha dinheiro para freqüentar um motel. De repente, a face do jovem começou a emitir uma luminosidade forte cada vez mais avermelhada e Reinaldinho desmaiou.
Acordou num hospital em São Bernardo do Campo e viu que estava internado com suspeita de esquizofrenia aguda. Pior. O nome que constava na sua ficha não era o seu. Era uma sigla estranha: FHC.
Reinaldinho desesperado, pegou o telefone na cabeceira e ligou para seu grande amigo Dioguinho, contando a estranha experiência por que havia passado. Pediu-lhe ajuda.
Depois de duas horas, Dioguinho chegou ao hospital e responsabilizando-se pelo amigo, logrou tirá-lo de lá.

(continua no próximo episódio)


Nota do autor: Esta é uma obra de ficção.Qualquer semelhança com fatos verdadeiros ou pessoas será mera coincidência.


*******

Desconstruindo os discursos mentirosos do lulo-petismo (3)

Leia aqui






7 comentários:

Ricardo Rayol disse...

Impressionante revelação do nascimento de FHC

tunico disse...

Ricardo, no próximo episódio explico melhor este nascimento(rs...)

Anônimo disse...

excelentes fotos!

CAntonio disse...

Muito boa a série. Igual só a Rapaguaça no blog da Nat.

Acompanharei fervorosamente...

SDS

David disse...

Hehe...a chapa tá esquentando. Nada como uma lua-de-mel caliente....

Stella disse...

imperdível !
essa nave jamais poderia ter pousado deveríamos ter contra-atacado com phasers :-)

Santa disse...

Estou acompanhando a série. Revelado o novelista (rss). Bjs