Translator

quinta-feira, setembro 21, 2006

NOTA DE REPÚDIO

No distante Estado do Amapá, por onde passa o rio Oiapoque na fronteira Norte do Brasil, uma jornalista ousou cometer um crime gravíssimo. Colocar na página de seu blog uma foto de um muro pichado com uma alusão bem humorada ao descontamento de cidadãos amapaenses com a tentativa de permanência por mais 8 anos do Senador José Sarney no Congresso, representando o povo daquele estado.

(foto no link http://thumbsnap.com/v/2YBq0IPa.jpg ).

É sabido pelo Brasil inteiro, que José Ribamar Ferreira de Araújo Costa mais conhecido por José Sarney, é cidadão maranhense, nascido na cidade de Pinheiro/MA onde mantém sua residência principal na cidade de São Luís. Com um longo curriculum político que se iniciou em 1956, foi governador do Maranhão, além de deputado Federal, Senador, Presidente da República entre 1984 e 1990(a sua biografia completa pode ser vista no link
http://www.cpdoc.fgv.br/dhbb/verbetes_htm/4909_1.asp ). Em 1990, Sarney não conseguiu articular a sua candidatura ao Senado com as forças políticas maranhenses, que optaram por Epitácio Cafeteira, o que resultou na ruptura política dos dois. Participou, então, da primeira eleição do novo estado do Amapá, que, de acordo com as Disposições Transitórias da Constituição de 1988, deixaria a condição de território em 1º de janeiro de 1991, ficando, portanto, para serem preenchidas as vagas de governador, deputados estaduais e três senadores. Candidato pelo PMDB, partido em que ingressou em 1984 após permanecer desde o golpe militar de 1964 no partido dos militares, a ARENA (depois PDS), passou a ser então segundo seus opositores, o quarto senador do Maranhão.Nesta condição, permanece por 16 anos. Apoiou o presidente Itamar Franco após a queda de Collor, apoiou o presidente Fernando Henrique Cardoso até 2002, quando sua filha Roseana Sarney postulou a candidatura à sucessão de FHC , tendo sua postulação derrubada pelo escândalo Lunus. Sarney então, passou a apoiar Lula e durante os últimos 3 anos anos, na condição de Presidente do Congresso e pessoa influente no meio político, ajudou o atual Presidente a esquivar-se dos escândalos como o da máfia dos Correios, Waldomiro Diniz e tantos outros.

Ora, a democracia pressupõe alternância de poder e boa parte do povo do Amapá, incomodado com a longa permanência de José Sarney, passou a apoiar a candidatura de uma cidadã legitimamente amapaense que hoje está praticamente empatada nas pesquisas e tem chances de ganhar a cadeira vaga do Senado nas eleições de outubro.

A jornalista Alcinéa e sua irmã, fazem parte do grupo de opositores amapaenses ao Senador. Inconformado com a sua queda nas pesquisas, José Sarney, oligarca poderoso que é, entrou com diversas representações contra a jornalista conseguindo inclusive que seu blog fosse tirado do ar. O TRE local inclusive, com extrema rigorosidade e presteza, determinou que a jornalista publicasse direito de resposta, retirasse posts que fazem referência à pessoa do Senador além de lhe aplicar multas altíssimas. Todos os blogs e sites políticos brasileiros que existem na Internet publicam análises,críticas, charges, que na realidade refletem a péssima situação política que vivemos no Brasil de hoje.Imaginem se todos eles fossem retirados do ar!
José Sarney,como proprietário de jornal e estações de TV e rádio no Maranhão, certamente não gostaria nem um pouco que suas empresas de comunicação fossem censuradas.Mas exatamente é o que ele faz com o blog da jornalista.

Todos nós que passamos pelo período mais negro da República brasileira, o regime militar de 1964, sabemos bem o que é nos tirar o direito da liberdade de expressão. O cidadão José Sarney apoiou este regime durante 20 anos e embora depois tenha se declarado contra a censura, agora quando vê sua hegemonia política ameaçada, revela uma faceta totalitária adormecida em seu íntimo.Procura censurar a jornalista restrigindo o seu direito à liberdade de expressão.
Lembro aqui a anedota sobre dois cachorros de rua conversando em Paris.Um era francês o outro cubano. O cachorro francês reclamava da sua condição de cachorro de rua, protestava contra a desigualdade na França. Existiam os cachorros de madame sempre limpinhos, alimentados enquanto ele estava faminto, sem um cantinho para morar. O cachorro cubano lhe disse que em seu país, todos os cachorros eram iguais, com direito a alimentação mínima, veterinário, um cantinho para dormir.Ao que o cachorro francês perguntou: “-Se lá no seu país é assim, por que você está aqui na França?” O cachorro cubano respondeu: “-Eu lati.”

Repudio esta atitude do Senador. Reflita melhor. O senhor é um escritor, membro da ABL. Crie um blog e passe a debater democraticamente com a jornalista.Estará contribuindo para o aperfeiçoamento ainda maior da democracia.


8 comentários:

Star disse...

Tunico,

Dia primeiro de outubro é nosso dia de libertação de todos os "demônios" que se acham donos desse país!

XÔ SATANÁS!

Claudia disse...

Tunico, publiquei um rápido post em solidariedade ao blog de Alcinéa e fiz um link para seu excelente artigo.
É isso aí, vamos mandar Sarney e sua corja para o quinto dos infernos.
Abraços

disse...

Li no Blog da Santa e estou publicando o repúdio em meu bog.Parabéns, aí!!

Duda disse...

Parabéns pelo seu blog!Nem nos países mais autoritários impediram que blogueiros calassem.

Kafé Roceiro disse...

Amigo,
conforme seu pedido está postado. Acho que temos que ser unidos mesmo. Abraços do Kafé.

Nat disse...

Querido Tunico,

Tenho verdadeiro pavor à censura. Já publiquei anteriormente em meu blog mensagem de solidariedade à Alcinéa. Mas só consigo ajudar simpatizantes à causa petista uma vez (risos).

Xô Sarney! Xô petistas!

Roberto Antonio disse...

Tunico, sugiro você postar o selo sobre a grana do Dossiê.
Vai até o Blog da Nariz gelado ou da Kika Albuquerque e posta ele também no seu blog.
Abraço....

david disse...

Tunico,
obrigada pelo apoio. Tem sido muito importante para nós amapaenses que até bem pouco tempo não tínhamos como fazer ecoar nossos gritos.
Vivíamos aqui isolados, coléricos, mas medrosos.
Ontem deixei um comentário no Reinaldo esclarecendo alguns pontos. Vários blogueiros que têm me apoiado me imaginam, não sei porque, "petralha".
Se eu fosse petralha estaria lambendo as botas do Sarney. Alguém disse que sou do PSB. Não sou.
Minha luta é para garantir o direito que temos à liberdade de expressão, a livre manifestação do pensamento. Sempre combati e sempre combaterei quem tentar nos negar este direito, pertença a qualquer partido.
Aqui no distante Amapá já sofremos coisas que até o diabo duvida. Já sofri até atentado à bala, mas nunca me curvei diante dos poderosos, sejam de esquerda, de centro, ou de direita.
Um beijo pra você e mais uma vez obrigada por tudo.